-->

Luta sem trégua contra o governo usurpador

domingo, 30 de outubro de 2011

Carta de Foz do Iguaçu, do I Encontro Mundial de Blogueiros

2 comentários:
Queima de fogos na abertura do Encontro Mundial de Blogueiros, na Itaipu Binacional

O 1º Encontro Mundial de Blogueiros, realizado em Foz do Iguaçu (Paraná, Brasil), nos dias 27, 28 e 29 de outubro, confirmou a força crescente das chamadas novas mídias, com seus sítios, blogs e redes sociais. Com a presença de 468 ativistas digitais, jornalistas, acadêmicos e estudantes, de 23 países e 17 estados brasileiros, o evento serviu como uma rica troca de experiências e evidenciou que as novas mídias podem ser um instrumento essencial para o fortalecimento e aperfeiçoamento da democracia.

Como principais consensos do encontro – que buscou pontos de unidade, mas preservando e valorizando a diversidade –, os participantes reafirmaram como prioridades:

- A luta pela liberdade de expressão, que não se confunde com a liberdade propalada pelos monopólios midiáticos, que castram a pluralidade informativa. O direito humano à comunicação é hoje uma questão estratégica;

- A luta contra qualquer tipo de censura ou perseguição política dos poderes públicos e das corporações do setor. Neste sentido, os participantes condenam o processo de judicialização da censura e se solidarizam com os atingidos. Na atualidade, o WikiLeaks é um caso exemplar da perseguição imposta pelo governo dos EUA e pelas corporações financeiras e empresariais;

- A luta por novos marcos regulatórios da comunicação, que incentivem os meios públicos e comunitários; impulsionem a diversidade e os veículos alternativos; coíbam os monopólios, a propriedade cruzada e o uso indevido de concessões públicas; e garantam o acesso da sociedade à comunicação democrática e plural. Com estes mesmos objetivos, os Estados nacionais devem ter o papel indutor com suas políticas públicas.

- A luta pelo acesso universal à banda larga de qualidade. A internet é estratégica para o desenvolvimento econômico, para enfrentar os problemas sociais e para a democratização da informação. O Estado deve garantir a universalização deste direito. A internet não pode ficar ao sabor dos monopólios privados.

- A luta contra qualquer tentativa de cerceamento e censura na internet. Pela neutralidade na rede e pelo incentivo aos telecentros e outras mecanismos de inclusão digital. Pelo desenvolvimento independente de tecnologias de informação e incentivo ao software livre. Contra qualquer restrição no acesso à internet, como os impostos hoje pelos EUA no seu processo de bloqueio à Cuba.

Com o objetivo de aprofundar estas reflexões, reforçar o intercâmbio de experiências e fortalecer as novas mídias sociais, os participantes também aprovaram a realização do II Encontro Mundial de Blogueiros, em novembro de 2012, na cidade de Foz do Iguaçu. Para isso, foi constituída uma comissão internacional para enraizar ainda mais este movimento, preservando sua diversidade, e para organizar o próximo encontro.
-----------------------------
Fonte:foto e texto do Blog do Esmael

sábado, 29 de outubro de 2011

Chapa quer trocar posição dos ventiladores do Sinditest

5 comentários:
Um quadro do antigo programa humorístico "TV Pirata" mostrava sósia de Michael Jackson embranquecido gritando inutilmente para convencer os vizinhos negros: "- Ei, venham aqui, eu sou como vocês, eu sô negão, eu sô negão!" (clique aqui para ver a gravação no Youtube).


Essa cena engraçada veio à lembrança ao ler o também patético texto do site da Chapa 2 do Sinditest, tentando a todo custo gritar pra convencer os filiados: "- Ei, venham aqui, eu sou Oposição, sou Oposição!"  Parece que, na fúria de provar sua tese furada, o autor do texto chega a repetir o mesmo texto, em dois parágrafos, para descrever duas greves muito distintas, a de 2007 e a recente de 2011:


"a gestão (...) do Sinditest/PR não cumpria com seu papel: a greve não tinha a verba necessária, não haviam [sic] panfletos pra categoria e pra população, o site não era atualizado a contento, o sindicato não estava logo cedo nos locais de trabalho para garantir a greve, as assembleias não eram democráticas..."


Eles só esquecem um "ligeiro" detalhe diferenciando as duas greves: o resultado dela! Enquanto em 2007, sob a gestão Belotto, a luta conseguiu um polpudo reajuste salarial nacional pago de 2008 a 2010, nesta greve de 2011, o sindicato de Neris/Messias/Carla/Bernardo conseguiu reajuste ZERO para 2011 e 2012.

E também omitem o outro detalhe de que diversos membros da Chapa 2 estiveram - ou ainda estão? - até setembro deste ano abraçadinhos na mesma Diretoria com Wilson "Pinóquio" e Dr. Néris "Trator". Isso lá é oposição quer quer mudar o "rumo dos ventos"?  Caso vençam a disputa, vão mudar quais "ventos"? Peidar pra frente ou mudar a posição dos ventiladores na sede do sindicato?


sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Reitoria censura sua própria assessoria para proteger Chapa 1 do Sinditest

4 comentários:
Republicamos abaixo a postagem do site da UFPR (de 26/10) que foi CENSURADA por ordem da própria Reitoria, a qual traz uma simples entrevista com as chapas concorrentes ao Sinditest. Fontes do Blog informam que a censura partiu diretamente do Reitoria com o intuito de proteger a Chapa 1 do "coronel" Néris, porque o incompetente se recusou a responder à entrevista.  Leia a seguir o que foi removido da lista de notícias da UFPR, para o caso de a Reitoria também mandar o CCE quebrar o link original da notícia.

"Chapas que disputam o Sinditest avaliam atual gestão e apresentam propostas"

A eleição do sindicato que representa os servidores técnico-administrativos da UFPR e os funcionários da Funpar está marcada para o próximo dia 9 de novembro

A Assessoria de Comunicação Social (ACS) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) enviou na última quinta-feira (20) um questionário com duas perguntas a cada uma das três chapas que disputam a atual eleição do Sinditest-PR.

A primeira pergunta trata de uma avaliação da atual gestão do sindicato. A segunda, de propostas para o futuro.

Das três chapas, duas responderam ao pedido de entrevista: "Oposição ─ Mudando o Rumo dos Ventos" (chapa 2) e "Sindicato Unido e de Todos ─ Verdadeira Oposição" (chapa 3). A outra, "Sindicato Para Todos" (chapa 1), optou por não responder (leia nota ao fim desta página*).

A eleição do Sinditest está marcada para o próximo dia 9 de novembro. Todos os filiados em dia com sua contribuição sindical podem votar. A posse da nova direção está prevista para janeiro. O mandato é de dois anos.


A seguir, as respostas de cada uma das chapas.

Qual a avaliação da chapa a respeito da atual gestão do Sinditest-PR?

Chapa 1 ─ Não respondeu.

Chapa 2 ─ A atual gestão do Sinditest-PR foi fruto da indignação da base com a gestão anterior, quando o sindicato foi omisso e sumiu do dia a dia da categoria. Mas tal indignação não foi suficiente para que o sindicato avançasse para uma concepção mais combativa e democrática. Tanto é que sete diretores romperam com a diretoria e fazem parte ou apoiam a chapa 2. A atual gestão é afastada da base, burocrática e defensora de interesses individuais, problemas que ficaram evidenciados durante o período de greve. Para nós da Chapa 2, uma gestão não pode falar grosso na hora da assembleia e falar fino nas reuniões com reitor e governo. É preciso haver coerência entre discurso e prática.

Chapa 3 ─ Nós da Chapa 3 ─ Sindicato Unido e de Todos ─ Verdadeira Oposição, entendemos que a atual gestão do Sinditest-PR (da qual fazem parte membros tanto da chapa 1, quanto da chapa 2) afastou-se da luta em defesa dos direitos dos trabalhadores, despolitizou e fragmentou a categoria, perdeu a credibilidade da base e transformou nosso sindicato em uma associação prestadora de serviços. E se, por um lado, não aceitamos o clientelismo da atual gestão, também não podemos ser coniventes com aqueles que, por quatro anos, estiveram nesta gestão e agora tentam se apresentar como oposição. Por isso, nosso nome já expressa o que defendemos e qual a nossa posição nesta eleição, somos a verdadeira oposição. Para nós, o Sinditest-PR precisa ser de todos os servidores, e de cada um deles, construído diariamente através da união.


Quais as principais propostas da chapa?

Chapa 1 ─ Não respondeu.

Chapa 2 ─ Prestação de contas mensal, democracia nas assembleias, criar mecanismos de organização por local de trabalho, fortalecimento das seções sindicais e grupos de trabalho, luta pela manutenção dos empregos da Funpar, luta pela melhoria no PCCTAE e recomposição salarial, participação nos espaços da Fasubra e articulação com outros movimentos e fóruns, criação de espaços de formação política, tudo isso com independência em relação ao governo, à reitoria, partidos e escritórios de advocacia. Para isso, apostamos na construção de uma diretoria colegiada, em que os 25 diretores do sindicato tenham voz e possam fazer um trabalho de apoio à categoria.

Chapa 3 ─ Nosso sindicato precisa imediatamente de verdadeiras democracia, transparência, independência frente aos governos, partidos e reitorias, e nossa categoria precisa de verdadeiras conquistas. Para garantir isso, é urgente a necessidade de uma reforma do estatuto do Sinditest-PR. Nossa proposta é construir a luta em conjunto com a categoria e defender a todos, quer sejam Funpar, UFPR ou UTFPR, com igualdade. Trabalhador Funpar, que deu grande parte de sua vida ao HC e à universidade, tem de ser tratado com respeito e não jogado de lado ou posto na rua. Todos devem participar da construção do sindicato e, para garantir isso, fortaleceremos a organização dos servidores em cada local de trabalho e realizaremos o 1º Congresso do Sinditest-PR. Para avançar, precisamos entender que o Sinditest-PR somos todos nós!

----------------
 [*] Nota {da ACS}:
Todos os e-mails foram enviados simultaneamente às três chapas na última quinta-feira (20), com limite aproximado de 800 caracteres para cada resposta. O prazo dado para as respostas venceu ontem (25).

Horas antes de vencer esse prazo, um dos integrantes da chapa 1 informou por telefone que não responderia à entrevista, alegando que as perguntas seriam “tendenciosas” e “capciosas”, e que elas supostamente "favoreceriam a oposição".

A ACS nega a acusação e reafirma que o seu objetivo editorial, como unidade de comunicação de uma universidade pública, é fornecer informações de caráter jornalístico e de interesse público.

No caso, há interesse real por parte da categoria representada pelo Sinditest-PR em relação ao processo eleitoral em curso. As perguntas elaboradas e remetidas às chapas têm o objetivo de subsidiar a cobertura jornalística e de levar aos leitores do site da UFPR informações básicas quanto à plataforma e visão política de cada uma das partes em disputa, sem nenhum tipo de favorecimento pessoal ou a grupos específicos.
---------------------------------------------------------
Fonte: Site da ACS-UFPR (antes da censura)



quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Vergonhoso: Chapa 1 do "coronel" Néris foge de entrevista da ACS-UFPR

16 comentários:
Em 20 de outubro a Assessoria de Comunicação Social (ACS) da UFPR, como já fizera na eleição de 2009, enviou por email perguntas às chapas concorrentes à eleição de 9/11/ do Sinditest.  Duas perguntas simples e básicas para informar o eleitorado: "Qual a avaliação da chapa a respeito da atual gestão do Sinditest-PR?" e "Quais as principais propostas da chapa?"

As Chapas 2 e 3 atenderam ao questionário e as respostas podem ser conferidas neste link

Estranhamente, a Chapa 1 ("Sindicato Para Todos"), presidida pelo "coronel" Antonio Néris, recusou-se a responder e é a própria ACS-UFPR quem explica a razão de a chapa de situação fugir ao debate:

"Horas antes de vencer esse prazo [da resposta, 25/10], um dos integrantes da chapa 1 informou por telefone que não responderia à entrevista, alegando que as perguntas seriam 'tendenciosas' e 'capciosas', e que elas supostamente 'favoreceriam a oposição'.  A ACS nega a acusação e reafirma que o seu objetivo editorial, como unidade de comunicação de uma universidade pública, é fornecer informações de caráter jornalístico e de interesse público."

Nós, do Blog NaLuta, já conhecemos de longa data esse subterfúgio.  É típico de quem não tem nem argumentos nem propostas, pois a gestão que essa já derrotada Chapa 1 faria no Sinditest seria a da direção unipessoal do "coronel".  Essa fuga à entrevista e ao debate só reforça a convicção de que o tempo do autoritarismo do sr. Dr. Néris já passou.  Vá trabalhar de volta na base!  E terminamos rindo: quá, quá, quá!!!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Qual a negociata do Sinditest com escritórios de advocacia?

6 comentários:
"A greve de 2011 mostrou que o Sinditest/PR está dominado por uma espécie de “coronelismo” político fundado no autoritarismo, no benefício pessoal, na negociata com escritórios de advocacia..." [do Manifesto da Chapa 2]

De novo, caros leitores, pinçamos esse fundamental trecho do manifesto de apresentação da Chapa 2, aquela que diz que é sem nunca ter sido. No caso do trecho, o que gostaríamos de entender é a acusação da Chapa 2 contra seus ex-amigões da situação sobre a tal "negociata com escritórios de advocacia".

Carla e Bernardo, diretores do Sinditest e hoje candidatos da chapa de oposição de mentirinha, estiveram abraçados aos caciques-coronéis Messias "Pinóquio" e Néris "Trator" da Chapa 1 por pelo menos 45 longos meses, discutindo nas reuniões da diretoria "Sindicato Para Todos" inclusive as questões jurídicas, envolvendo os dois escritórios de advocacia Wagner Associados e Benkendorf.  

Então, tendo convivido nas entranhas do poder dessa diretoria, os caciques da Chapa 2 devem falar com muito conhecimento de causa para acusar, em seu manifesto enganadoramente "oposicionista", as tais negociatas com escritórios de advocacia.  Quais seriam essas negociatas?  Pois, se é feita a acusação, deve haver algum fundo de verdade. Por que a Chapa 2 não revela isso com clareza?  A base espera!

O Escritório Wagner Associados está sendo pão-duro e não dando nenhum recur$$$o para ajudar a campanha da Chapa 2?  O Escritório Benkendorf, onde conta-se que Antonio "Trator" Néris atua como um espécie de "agenciador", também não "ajuda" a Chapa 2, e por isso resolveram denunciar?  Conta aí, Chapa 2!  Afinal, somos todos nós, indefesos filiados da base, quem pagamos os honorários desses honoráveis, não é mesmo? Queremos transparência. Não desde o mês passado, como pede a Chapa 2, mas desde 2008!

Reajuste zero não. Diretoria Neris/Messias/Carla é do reajuste MENOS 3,17%!

2 comentários:
Mais uma para refrescar a memória dos colegas da base do Sinditest. Lembram que a PROGEPE cancelou o repasse de 3,17% de uma antiga ação, que beneficiava pelo menos metade dos servidores do RJU? Isso foi em outubro/novembro de 2009.  E o que fez o sindicato de Messias/Néris/Carla?  NADA!! Nada vezes nada, deixou a conquista ser zerada nos contracheques, sem choro nem vela. Convocou uma assembleia no HC para os seus advogados (aqueles da negociata de que fala a Chapa 2) explicassem o fim dos 3,17%, enquanto Messias ficava mudinho e de cabeça baixa na mesa.

Por isso, o mais correto não é dizer que essa foi a gestão sindical da greve longa do reajuste zero. Essa foi a longa gestão sindical de 4 anos do reajuste MENOS 3,17%.  Por isso, contra as chapas do -3,17% recomenda-se votar na Chapa +3.

sábado, 22 de outubro de 2011

O apreço da FUNPAR e HC por seu trabalhador

11 comentários:
Este Blog relatou, em matéria detalhada de 22 de agosto, a injusta demissão da servidora funpariana Rosangela Ferreira. Clique aqui para rever aquela materia.  Ali ficava claro que a servidora foi víitima de tratamento desrespeitoso e destemperado por parte de uma chefia do HC.

O que aconteceu desde então? Por ora, a demonstração de o quanto FUNPAR e HC "valorizam" o longo tempo - 21 anos - dedicado pela servidora ao trabalho no hospital.  Em audiência no Ministério Público do Trabalho (MPT), a FUNPAR fez de tudo para alegar que Rosangela teria sido demitida por "justa causa", por "abandono de emprego".

Rosangela foi literalmente enxotada do Serviço de Genética por uma médica histérica e o empregador advoga que ela largou sem justificativa seu trabalho!  Na audiência no MPT, ocorrida em 10/10, a FUNPAR entregou a ela o "gordíssimo" cheque de R$1.583,40...  Aos demais trabalhadores que ainda estão no HC, parece recomendável que ponham as barbas de molho depois desse tratamento tão valorizador do trabalhador, mostrado nesse episodio.

Entretanto, não aceitando a injustiça, Rosangela, através de seus advogados, contestou a subversão da realidade dos fatos da demissão e a alegação da FUNPAR de demissão por justa causa.

Pelo menos, a juíza que presidia a audiência no MPT se dispôs a ouvir o relato da servidora, no qual, como sabemos, existem fatos graves e com testemunhas.  E, assim, nova audiência acontecerá, embora apenas em abril do ano que vem, na qual Rosangela levará evidencias e provas demonstrando que foi demitida sem justa causa, e por isso tem direitos, dos quais a FUNPAR quer escapar de atender.

21 anos de trabalho e um ressarcimento de 1.500 reais. Viva a bondosa FUNPAR.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Refrescando a memória: a democracia do coronel Néris

12 comentários:
video
Quantos se lembram desta assembleia?  Ela ocorreu em 16 de dezembro de 2005, no HC e durou menos de dois minutos!. O Sinditest tinha por presidente o teletubbie Moacir Freitas e por vice... ah, quem? O Dr. Néris, famoso por seus métodos "muito democráticos". A chapa deles havia perdido a eleição naquele final de ano (para a chapa do Belotto), mas resolveram raspar o cofre e compraram, sem autorização da categoria, a famigerada "chácara" de Piraquara.  Tinham que fazer uma assembleia para dar uma fachada, e a convocaram às escondidas no HC.  Mas foram descobertos, e a oposição foi lá conferir, inclusive filmando a armação.  O video mostra no que deu.

Notem como o "coronel" Dr. Néris conduz democraticamente a assembleia.  Sequer informa-se onde fica a tal "chácara", quanto custa etc.  E depois o "coronel" não conta os votos, dando por encerrada a farsa.  Esse é o sindicalista veterano que quer voltar a presidir o Sinditest, candidato pela atual Chapa 1..  Ele merece algum tipo de voto, não merece?

A Diretoria do Sinditest não prestou contas do ano de 2010. Logo...

5 comentários:

As despesas do sindicato não podem ser uma caixa-preta...

7 comentários:
"As despesas do sindicato não podem ser uma caixa-preta..." - isto se lê no site de campanha dos diretores do Sinditest que formaram a Chapa 2, entre os quais Carla Cobalchini, Bernardo Pilotto, José Carlos Assis.

Ah, antes tarde do que nunca! Então esses diretores - que até poucos meses atrás eram coniventes com a política da "caixa-preta" das finanças sindicais, que nunca se somaram à oposição para exigir prestações de contas conforme manda o Estatuto do Sinditest, que se calaram quando das denúncias de maracutaias em transações imobiliárias - agora, por conta das eleições sindicais, apresentam-se como paladinos da transparência? Os membros mais novos da Chapa 2 deveriam cobrar estas explicações de seus mentores psolistas.

Tais diretores participantes da chapa de oposição de mentira, a Chapa 2 - vulgo "biruta de aeroporto", que vira conforme o vento -, deveriam esclarecer aos eleitores que sua gestão atual "Sindicato Para Todos", com a cumplicidade dos caciques Wilson "Pinóquio" Messias e Dr. Antonio "Trator" Néris, até hoje não prestou contas do exercício financeiro de 2010 - aí está mais uma caixa-preta que eles agora, farsescamente, fingem denunciar. E o que diz dona Maria Alice, presidente do Conselho Fiscal de lorota, que prometeu, em abril deste ano, apresentar as contas de 2010?

Pode-se confiar em quem até agora esteve no comando dessa diretoria e, subitamente, vira oposição? Quem sequer protestou contra o fato de ter sido cancelada a assembleia de prestação de contas dos gastos da greve em 6 de outubro? A chapa 1 é a parolagem mafiosa de sempre. A chapa 2 é o mero oportunismo eleitoral tentando iludir os incautos.

Consciência tardia ou oportunismo eleitoral?

4 comentários:
Na campanha eleitoral para a Diretoria do Sinditest, apresenta-se uma chapa que se autodenomina de "oposição", propondo mudar o "rumo dos ventos".  A chapa 2, constituída por alguns servidores que atuaram na recente greve, tenta apresentar-se como algo novo e de oposição à atual diretoria do sindicato. É, contudo, capitaneada por alguns diretores da gestão "Sindicato Para Todos".

Em seus materiais de campanha, esbravejam - somente agora, em campanha - contra o "coronelismo político fundado no autoritarismo, no benefício pessoal, na negociata com escritórios de advocacia e na ausência de uma política de enfrentamento à Reitoria e outros 'patrões'”.  Em trecho seguinte, publicado em seu site de campanha, a chapa 2 reclama que "despesas do sindicato não podem ser uma caixa-preta, as decisões políticas devem ser coletivas. Chega de personalismo, de autoritarismo, de transformar uma entidade sindical em propriedade, em quintal da própria casa!"


Uau! Uau, de novo! Prestem atenção, prezados leitores!! Não se trata de alguém deste blog de oposição acusando a diretoria do Sinditest: trata-se de diretores atuais do próprio sindicato acusando seus colegas manda-chuvas!  Acusando Wilson "Pinóquio" Messias, o Dr. Néris et caterva. E são acusações graves: caixa preta nas finanças, negociatas com advogados, benefícios pessoais...

Ora, ora, trata-se de questões que este Blog - desde 2008 - vinha apontando, denunciando, tentando esclarecer e mobilizar a categoria para cobrar explicações! Questões graves que o companheiro "Paraná" levou ao nível de denúncia formal ao Ministério Público!! E agora a Chapa 2, formada por dissidentes da diretoria do Sinditest, confirma.

Muito bem.  Pena é que esses membros da Chapa 2, que se beneficiaram politicamente até há pouco do esquemão com Wilson "Pinóquio" Messias e Dr. Antonio "Trator" Néris, somente agora falam disso.  Confirmam as críticas da oposição para agora tentarem se apresentar como oposição.  Estavam ceguinhos, surdinhos e mudinhos até então?   Isto se chama oportunismo descarado.  O que não faz o desejo louco pelo poder...



sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Eleição do Sinditest: Chapa 3 de oposição apresenta-se aos servidores

12 comentários:
Na tarde de hoje apareceu o primeiro material de campanha da Chapa 3, que disputa a eleição do Sinditest sob o nome "Sindicato Unido e de Todos - Verdadeira Oposição".  O panfleto informa o site da Chapa - http://www.sinditestchapa3.wordpress.com -, onde estão os nomes dos candidatos, e o seguinte texto de apresentação:

EXPERIENCIA E RENOVAÇÃO PRA VOLTAR A AVANÇAR 

No dia 9 de novembro ocorrem as eleições para a direção do SINDITEST-PR. Nós, da Chapa 3, defendemos um sindicato unido e de todos. Convidamos você a juntar-se a nós nesta luta! Estamos aqui para propor o novo, sem esquecermos as conquistas que nossa categoria teve no passado. Por isso trazemos em nossa chapa a saudável mescla entre a experiência e a renovação. Não concordamos com o clientelismo que se instalou em nosso sindicato nas últimas gestões, do vice-presidente Antonio Néris (Chapa 1) e da diretora de imprensa Carla Cobalchini (Chapa 2). Entendemos que cada servidor precisa de apoio jurídico, social e de saúde, e que isso é dever do sindicato (e não favor!). 

Contudo, acreditamos que os servidores precisam de um sindicato que lute por seus direitos e que construa essa luta junto com cada servidor, em cada local de trabalho. O SINDITEST-PR não é, nem pode ser, um presidente, ou uma gestão, que lá estão. O SINDITEST-PR sou eu, é você, somos todos nós! Esse é o compromisso que assumimos com a categoria, resgatar o sindicato para cada servidor. Queremos um Sindicato Unido e de Todos! 

Queremos verdadeira democracia, verdadeira transparência e independência frente a Reitorias e Governos. Não queremos, e não aceitamos, o coronelismo, seja ele personalista ou partidário. O SINDITEST-PR não pode ser escravo dos interesses de uma pessoa ou de um pequeno grupo. Defendemos um Sindicato de Todos Nós! 

Conheça nossa chapa e entenda por que nós somos a única e verdadeira oposição nesta eleição. 

Por uma verdadeira... 
- Democracia sindical 
- Transparência 
- Independência perante Reitorias e Governos 
- Conquista e não ilusão ou promessa. 

Piada pronta da chapa do coronelismo...

8 comentários:

- Ônestidade !
- Ônradez !!
e...
- Ó proceis filiados !!!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Para reitor da UFPR, a EBSERH deve assumir em breve gestão do HC

6 comentários:
Mais uma do programa "Olho no olho", da última segunda-feira, na BandNews-FM: várias vezes perguntado sobre os problemas do HC, o reitor Zaki Akel não hesitou em afirmar que a questão dos trabalhadores da FUNPAR será resolvido com o advento da nova empresa de gestão, a EBSERH.  Até o fim do ano.  

Para o reitor da UFPR, a EBSERH será realidade mesmo, ou seja, o PL 1749, já aprovado na Câmara de Deputados, também passará pelo Senado e será sancionado pela Presidência da República. Depois o reitor deverá defender dentro do Conselho Universitário da UFPR que o HC seja deixado aos cuidados da nova empresa pública.  Isto salvará temporariamente os empregos celetistas dos mil funparianos, num prazo de até cinco anos.


Escadas de incêndio, ahn?
Ainda sobre o HC, um trecho curioso da entrevista foi a indisfarçada surpresa de Zaki Akel quando perguntado sobre escadas de saída de emergência no hospital.  Em seu Blog, a jornalista Joice Hasselmann escreveu: "O Hospital de Clínicas não tem escadas de incêndio e o reitor Zaki Akel não sabia dessa situação! A informação chegou à BandNews FM através de um ouvinte, durante o Olho no Olho. A assessoria da UFPR informou que o hospital está elaborando um projeto para construir escadas de incêndio, para depois abrir licitação. O prédio tem 50 anos e não havia previsão dessas escadarias no projeto da época. O reitor prometeu tomar providências."

Bem, a UFPR vai completar 100 anos em 2012 e grande número de seus prédios na capital são velhos! Onde acham que tem escadas de incêndio?  Esse é o reitor do centenário da UFPR... 

Governo e TST tratoram greve dos trabalhadores dos Correios

Nenhum comentário:
Não foi só com os servidores técnicos das Universidades Federais.  O tratamento dado pelo Governo Federal à greve dos trabalhadores dos Correios também está sendo duro, e mais até.  O TST foi convocado para se pronunciar sobre a paralisação e determinou que os funcionários dos Correios em greve retornem ao trabalho hoje (13). A multa diária em caso de descumprimento foi estipulada em R$ 50 mil sobre a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect).

Junto com a ordem de volta ao trabalho, o TST também julgou a favor da reposição da inflação de 6,7% e um reajuste linear de R$ 80 a partir de outubro. Já no caso da greve da FASUBRA, embora não tenha sido aplicada nenhuma multa à greve de mais de 100 dias nem desconto de dias parados, o resultado da paralisação dos técnicos foi reajuste zero para 2011 e 2012.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Greve dos bancários segue forte no Paraná

3 comentários:
O Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região promoveu assembleia, no início da noite de ontem (10), para garantir o fortalecimento da greve da categoria. A mobilização mantém 696 agências fechadas em todo o Paraná. Em Curitiba e região, os bancários estão com 300 agências fechadas, sete a mais do que na última sexta-feira (7). O sindicato estima que 16,4 mil trabalhadores paranaenses estejam de braços cruzados neste 15º dia de paralisação.

Os trabalhadores reivindicam reajuste de 12,8% (aumento real de 5%, mais inflação do período), a valorização do piso, maior participação nos lucros e resultados, mais contratações, a extinção da rotatividade, o fim das metas abusivas, combate ao assédio moral, mais segurança, a igualdade de oportunidades, melhoria do atendimento aos clientes e a inclusão bancária sem precarização, entre outros itens.

O Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), realiza hoje (11) assembleia em São Paulo para avaliar a greve. A categoria pode ampliar o movimento caso a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) não apresente nova proposta. A Fenaban é o braço da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) dedicado às negociações trabalhistas.
-----------------------------
Fonte: Blog do Esmael

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Ponto eletrônico biométrico será implantado, garante reitor Akel na Band-FM

7 comentários:
No programa de entrevistas das manhãs de segunda na FM Bandeirantes, o "Olho no olho", o reitor da UFPR confirmou hoje a intenção de implantar o controle de ponto eletrônico biométrico. Informou que os equipamentos já estão adquiridos. E disse que considera isso a contrapartida natural da adoção da jornada semanal de 30 horas, principal ponto negociado na pauta local da greve dos técnicos.  A medida é para toda a UFPR, incluindo o HC.

Entretanto, o processo mesmo de implementação das 30 horas ainda vai cumprir algumas etapas até, talvez, virar realidade. Por ora, é só promessa no papel.  Somente hoje à tarde (10) será instalada a Comissão de Estudos das 30 horas, integrada por representantes da Reitoria e pelos técnicos Wilson Messias e Carla. Dentro de 30 dias, lá por 9/11 (dia da eleição do Sinditest), a Comissão apresentará ao reitor seu relatório de estudos.  A partir daí, o reitor convocará sessão do Conselho Universitário (COUN) para aprovar ou rejeitar a proposta.  

A entrevistadora da Band FM, Joice Hasselmann, foi pra cima do reitor perguntando ainda se é candidato à reeleição em 2012.  No melhor estilo do político profissional, Zaki Akel ensaboou para responder, mas nas entrelinhas ficou patente que ele pretende manter-se no trono da Reitoria da UFPR por mais um mandato.

domingo, 9 de outubro de 2011

Eleição do Sinditest deverá ter três chapas disputando a Diretoria

20 comentários:

Não se sabe qual a pressa, mas a Diretoria pelega do Sinditest antecipou para 9 de novembro a eleição da nova diretoria executiva. O período de inscrição de chapas foi apenas de 3 a 7 de outubro.  No final do prazo, três chapas apresentaram-se, mas a Comissão Eleitoral ainda vai examinar a regularidade estatutária dos candidatos para somente depois homologá-las. 

A Chapa 1 - "Sindicato Para Todos" - é de continuísmo da atual diretoria, tendo como candidato de situação a presidente o velho sindicalista Dr. Néris, representando o que há de mais obsoleto, clientelista e autoritário no sindicalismo da UFPR/UTFPR.  Consta que a Chapa 1 é apoiada efusivamente pelo atual presidente Wilson "Pinóquio" Messias, o que mentiu na última assembleia de greve sobre o desconto da mensalidade do sindicato.


Tentando mostrar-se como grupo de oposição, aparece a Chapa 2 ("Oposição - Mudando o rumo dos ventos"), formada por alguns membros minoritários da atual Diretoria pelega do Sinditest, cuja cabeça é a ex-diretora de imprensa Carla Cobalchini.  É chapa dirigida por quem sempre esteve ao lado de Wilson "Pinóquio" Messias e Dr. Antonio "Trator" Néris nos últimos três anos e meio, mas ultimamente teve algumas briguinhas internas com eles.  O critério de composição dessa chapa (assim como deve aparecer em sua plataforma eleitoral) é todos seguirem estritamente os preceitos da cartilha dos partidos PSOL e PSTU.  Ou seja, uma chapa politicamente mais estreita que a rua São Francisco no centro de Curitiba...

Por fim, e não menos importante, surge também a alternativa da Chapa 3 - "Sinditest Unido e de Todos - Verdadeira Oposição", encabeçada por Gessimiel "Paraná" Germano, trabalhador do RU Central e um dos delegados de base no Comando Nacional de Greve no período final da paralisação.  Pode ser caracterizada como uma chapa de esquerda independente e "Paraná" promete mudar de verdade o modo de fazer sindicalismo na base do Sinditest, com efetiva democracia, ética, transparência e luta.

Já existe alguma propaganda em setores da UFPR desde ontem.  Esperemos as plataformas eleitorais para ver o que cada um promete e pretende.  Porém, acima de tudo, o eleitorado não deve se deixar enganar por palavras doces nem lindos e fartos materiais de campanha, e sim tentar saber mais sobre a trajetória real de cada personagem dentro da UFPR/UTFPR.

Adianta?

2 comentários: