-->

Luta sem trégua contra o governo usurpador

terça-feira, 29 de julho de 2008

O sabonete que faz mais espuma

3 comentários:
Nos processos eleitorais, continua muito forte a tendência de o "marquetismo" prevalecer nas campanhas de diversos candidatos, importando menos ou quase nada o programa, as idéias do postulante ao cargo público.


Marquetingue
- entre outras coisas, a arte de vender o sabonete, qualquer sabonete, de convencer o eleitor-consumidor de que o Sabonete "Z" é mais cheiroso e faz mais espuma que o Sabonete "X" ou o "Y"...


O problema é que a espuma pode ser bonitinha e agradável, mas se desfaz em pouco tempo. Além de ser feita de bolhas de sabão, que, como se sabe, não têm nada dentro.

Reitora da UFPR cede ao bom senso

Um comentário:
Acaba de ser publicada na página principal da UFPR a notícia de que a reitora em exercício e a Comissão de interlocução do CoUn cederam ao calendário proposto pela Comissão Paritária de Consulta (CPC) formada pelas entidades. Com isso, sinaliza-se favoravelmente ao bom entendimento entre a mais alta instância dirigente da UFPR e as tradicionais organizadoras da consulta direta, as entidades dos professores, técnicos e alunos.


Assim, a inscrição para valer de candidaturas somente abre no dia 4 de agosto e se encerra no dia 6, às claras do 2o. semestre letivo já em curso. A eleição direta será em 27 de agosto e em seguida o seu vencedor será informado ao CoUn para que este elabore a lista tríplice em conjunto com o Conselho de Curadores.


Ainda nesta semana, a CPC publica na quinta-feira a redação final do Regimento Eleitoral da consulta direta. Há expectativa de que esse Regimento determine que a eleição (portanto também a inscrição) seja para chapa completa (reitor com vice), mesmo que um novo vice-reitor eleito, para assumir, tenha que aguardar o término do mandato da professora Márcia (em abril de 2010), e possa cumprir apenas um mandato-tampão (2 anos) até a próxima eleição de 2012.

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Mais um mês e não se vende o canil chacreiro

4 comentários:
Hoje é 28 de julho. Há oito meses se decidiu vender a "chácara"-canil comprada na calada da noite pela gestão de Moacir Freitas e Antonio Neris (2005). Mais um mês se passa sem que os técnico-administrativos recuperem o vultoso dinheiro pago por todos os filiados numa transação obscura e condenada pela assembléia geral de Nov./2007.

Estamos contando os meses... como será em 27 de agosto?

quarta-feira, 23 de julho de 2008

A proposta conciliatória da Comissão Eleitoral para o dia da eleição de reitor

Nenhum comentário:
No dia de hoje transcorreu a primeira reunião da Comissão Paritária de Consulta (APUFPR, DCE e SINDITEST) depois que a sessão de ontem do CoUn reiterou que pretende instalar o Colégio Eleitoral no dia 27/8 mesmo. Na matéria de ontem, constatávamos que essa decisão do CoUn soava como imposição e desafio à autonomia das entidades que historicamente sempre organizaram a eleição direta de reitor, o que poderia conduzir a impasses e confrontos indesejáveis.


Soubemos por fontes da própria Comissão de entidades que, por unanimidade, aprovou-se hoje uma data da consulta direta que pretende acalmar a aflição da maioria dos membros do CoUn: o próprio dia 27 de agosto. O período de inscrição de candidaturas mantém-se inalterado, indo de 4 a 6 de agosto.


O prazo de envio ao MEC da lista de 3 nomes, contendo o vencedor da consulta direta no topo da relação tríplice, é 29 de agosto. Com a eleição direta ocorrendo das 08h00 às 21h00 do dia 27/8, restará aos membros do Colégio Eleitoral (CoUn + Conselho de Curadores), elaborador da lista tríplice, reunirem-se no mesmo dia, se o quiserem, e aguardarem a contagem de cédulas e proclamação do resultado do voto direto da comunidade.


A Comissão Paritária de Consulta definiu o dia 31 de julho como o prazo para finalização de todas as normas da eleição direta. Até lá ainda pendem para resolver as polêmicas relativas à eleição ser por chapa completa e à fórmula de cálculo da paridade. Questões importantes que, a nosso ver, precisam ser compartilhadas e debatidas com a base de cada categoria, em assembléia geral.

terça-feira, 22 de julho de 2008

Conselho Universitário instala confronto na eleição da Reitoria

2 comentários:
A sessão extraordinária do Conselho Universitário da UFPR (CoUn), acontecida na manhã de hoje, deflagrou um estado de confronto entre o CoUn e a Comissão Eleitoral formada pelas entidades APUFPR, SINDITEST e DCE, em função de divergência sobre as datas do processo sucessório da Reitoria.

Enquanto na reunião de ontem da Comissão de entidades foi acertado consensualmente um adiamento de apenas duas semanas para inscrição de candidaturas e para a eleição, o CoUn de hoje fez com que seus conselheiros até votassem (por maioria apertada de 19 votos contra 15) pela manutenção das datas originais a pretexto de atender prazos do MEC. A Comissão de entidades estabeleceu inscrição para 4 a 6 de agosto, argumentando ser necessário dar tempo à volta de férias de alunos e servidores, e retomada das aulas, com a eleição direta ocorrendo em 3 de setembro. O CoUn quer manter as datas de 21 a 25/7 para inscrição e 20 de agosto para a eleição.


Aparentando desconhecer a história e os métodos de bem-sucedidas eleições diretas de reitor ao longo de 20 anos na UFPR, a Presidente do CoUn, reitora Márcia Mendonça, entendeu que as entidades devem se submeter a essa decisão do Conselho.


No entanto, na história de todas as eleições diretas desde 1985, foram sempre as entidades que, mantendo sua autonomia, acertaram por consenso um regimento eleitoral, organizaram e executaram a consulta direta. O CoUn não tem poder político para obrigar as entidades a acatar seu prazo, e um adiamento de meras duas semanas jamais iria levar o MEC a intervir ou adotar sanções à universidade.


Se quiser fazer sua decisão prevalecer a ferro e fogo, sozinho o CoUn não terá condição de realizar a eleição direta e apenas poderá reunir o Colégio Eleitoral para elaborar a lista tríplice, na data que pretende (27/08). Isto representará então a ruptura do entendimento entre entidades e CoUn, com indesejáveis conseqüências políticas.

Eleição da Reitoria-UFPR ainda confusa

Nenhum comentário:
Ontem, 21/7, a Comissão Eleitoral definiu novas datas para inscrição de candidaturas e para realização da eleição direta. Existem, contudo, temas polêmicos para a conclusão do Regimento Eleitoral, como a fórmula de cálculo do voto paritário, a questão dos limites da propaganda e se a consulta direta será apenas para o cargo de reitor ou incluirá também a escolha de vice-reitor.

No quadro de candidaturas, após a professora Márcia anunciar quinta-feira passada que não pretende concorrer à Reitoria, permanecendo como vice-reitora por mais dois anos, o que se tem até o momento é uma disputa polarizada entre os candidatos Cid Aimbiré e Zaki Akel. Entretanto, setores participantes da “Convenção”, que ainda se realiza no Setor de Agrárias, continuam cogitando o lançamento de um terceiro nome. A “Convenção” volta a se reunir nas Agrárias nesta terça-feira, a partir das 18h00.

A eleição em chapa completa (reitor e vice) parte das diretorias do DCE e do SINDITEST, sob argumentação de que, mesmo tendo Márcia Mendonça direito a permanecer na vice-reitoria até 2010, não haveria problema de escolher desde já o futuro vice-reitor (que só assumiria daqui a dois anos). Uma alteração na fórmula de cálculo da paridade dos votos das 3 categorias é defendida pela direção do DCE, a qual pretende que se leve em conta apenas o conjunto de eleitores que comparecem às urnas e não o universo total de potenciais eleitores de cada categoria. Os representantes da APUFPR na Comissão Eleitoral afirmam que tais proposições são bastante polêmicas e não se sentem autorizados a tomar posição sem que as bases de cada categoria sejam consultadas em assembléias gerais. Até isto ocorrer, a Comissão pode empacar nesses itens, embora pretenda concluir o regimento eleitoral até 31 de julho.

A Comissão determinou novos prazos, levando em conta a necessidade de esperar o recomeço das aulas:

- de 4 a 6 de agosto: inscrição de candidaturas;
- 3 de setembro: eleição direta em todos os campi da UFPR.

O atual estágio dos debates na Comissão Eleitoral das entidades será informado à sessão de hoje do Conselho Universitário.

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Polêmicas na Comissão organizadora da eleição direta da Reitoria

5 comentários:
Um dos problemas que impregnam a Comissão das entidades que organiza a eleição direta da Reitoria da UFPR começa na sua própria composição, pelo fato de incluir três diretores do SINDITEST que não passaram pelo crivo de uma assembléia geral mas foram designados por uma canetada do seu presidente. Até o Conselho Universitário, em sessão recente, recomendou (não obrigou) que o SINDITEST realizasse assembléia para referendar seus representantes.

Outra polêmica na Comissão tem a ver com a feitura do Regimento da eleição direta. Não valorizando o próprio fato de poder acontecer uma eleição direta para preencher o cargo do reitor fugidio, as entidades DCE e SINDITEST insistem para que os eleitores sejam convocados a votar em chapa completa - reitor e vice - em agosto, desconsiderando que a atual vice-reitora Márcia tem direito a permanecer mais dois anos no cargo. Setores do movimento estudantil e uma parte da liderança dos técnicos querem eleger desde já também o vice-reitor, que teria de esperar dois anos para assumir, em 2010. Lembramos que eleição 'solteira' para vice-reitor já ocorreu em 1986 e em 2003, sem causar problemas à vida universitária.

A divergência mais importante, porém, pode se dar acerca da fórmula de cálculo dos votos paritários. O DCE quer mudar uma fórmula usada desde 1985, que leva em conta todo o eleitorado de cada categoria, alterando-a para que somente se calcule com base no número de eleitores comparecentes à urna. Uma discordância dessa natureza só pode ser discutida e resolvida convocando-se instância mais ampla que a mera Comissão Eleitoral de 9 pessoas, chamando-se assembléia geral. As bases de cada categoria devem opinar a respeito disso, e é preciso atingir um consenso, sem o qual a realização da eleição direta ficará num impasse.

Márcia Mendonça desiste. Convenção discute outro nome à Reitoria

Um comentário:
O Setor de Ciências Biológicas, uma área de ponta na UFPR, ficou uma vez mais de fora da condição de ter um integrante seu à frente da universidade. A professora Márcia Mendonça, daquele setor, não mostrou disposição em lançar-se à disputa da Reitoria na próxima eleição, confessando isso em reunião realizada ontem à tarde. Por esse motivo, sequer apareceu na Convenção ocorrida à noite no Setor de Agrárias.

Os participantes da Convenção ontem receberam com natural acabrunhamento a notícia da falta de vontade política da professora Márcia. Entenderam, por outro lado, que as posições ali apresentadas e as contribuições para a feitura de um programa para o período de gestão 2008-2012 não podem ficar sem alguém que as defenda. Deste modo, surgiu a proposição de que outro professor possa ser candidato à Reitoria. O nome cogitado é o do professor de Estatística Paulo Bracarense. Uma nova reunião da Convenção ficou marcada para a próxima terça-feira, dia 22.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Decisão sobre candidatura Márcia à Reitoria ficou para quinta-feira

4 comentários:
Mais de 60 pessoas estiveram na reunião de ontem da Convenção que discute o futuro da Reitoria da UFPR, no setor de Agrárias. No entanto, a figura mais esperada, a reitora em exercício Márcia Mendonça, não se fez presente, mas igualmente não houve informes sobre sua decisão pessoal final (permanecer como vice-reitora ou lançar-se à disputa da gestão da Reitoria 2008-2012).


Com isso, a expectativa se mantém para o que é considerado a dead-line, o prazo fatal para uma definição - a reunião da Convenção na quinta-feira, dia 17/7. Durante a Convenção de ontem, houve manifestação de professores afirmando que o nome da professora Márcia é aquele capaz de assegurar unidade para o avanço da UFPR, reunindo atributos de capacidade, experiência administrativa e coragem para levar a Universidade a comemorar muito mais conquistas no seu centenário em 2012.


O Movimento Avançar na Luta tem participado dos encontros da "Convenção" e reitera aos colegas técnicos, aos professores e alunos, o convite para se fazerem presentes na próxima quinta, dia 17, a partir das 18h30, no auditório do Setor de Agrárias, campus Juvevê.

O Nero-Messianismo dispensa a democracia

5 comentários:
A “doutrina” da atual diretoria do SINDITEST, ensinada por seus dois principais pastores, ficou mais clara com a última edição de seu jornal (no.4-Julho/2008). A matéria “Indicação do SINDITEST quebra ‘esquema’ e estoura bolsa de favores” faz malabarismos de raciocínio político e lança calúnias contra servidores para sustentar uma tese: reunião de diretoria é mais democrática que uma assembléia geral. Dez ou quinze diretores do Sindicato reunidos são um momento mais democrático do que várias dezenas de filiados de base numa assembléia...


Pelé, na época da ditadura militar, recebeu caminhões de críticas por afirmar que “o povo não sabia votar”, e naquela época toda eleição estava proibida. Engraçado que esse é um argumento famoso dos liberais (dos neo também), o de achar que a multidão é uma criança que não sabe decidir, enquanto somente um punhado de sábios realmente sabem o que é certo.


Argumento parecido a “doutrina” do nero-messianismo está usando agora, para antecipar seu veto total à realização de uma assembléia pedida através de abaixo-assinado encaminhado pela base de filiados. A Diretoria do SINDITEST se autoproclama a única instância capaz de apontar o que é justo e certo. Assembléias podem decidir errado, é o que querem dizer os guardiães sagrados da “boa condução” do processo eleitoral.


Enquanto posam de santinhos sábios, para justificar o injustificável, usam o recurso sórdido da calúnia contra servidores(as) que foram eleitos(as) por assembléia para representar a categoria na Comissão da Eleição da Reitoria de 2005 (e não 2006, como erradamente está no jornal). Acusam indiscriminadamente, sem provas, os servidores Neide Alves, Clenice Stroparo, Eliane Campos, Paulo Adolfo (Dodô), Luiz Fernando Mendes e Gilmar Amaral de “atuarem (...) em benefício próprio, em outras palavras, venderam a categoria em troca de ‘carguinhos’.” Quais “carguinhos” e para quem? O jornal é covarde, não esclarece. Mais adiante diz que uma dessas servidoras teria feito um “serviço sujo”. Como se vê, o estilo de jornalismo é "alto nível"...


Assim - para salvar a inocente categoria de ficar à mercê de pessoas tão diabólicas -, a guardiã Diretoria “Para Todos” decidiu, escondida na sede do sindicato, nomear os impolutos cavaleiros Dr. Antonio Neris, José Carlos Assis, Ernani Borelli e Bernardo Pilotto (todos diretores) para representar os técnicos na Comissão organizadora da eleição da Reitoria de 2008. Afirma a diretoria ter autonomia para essa decisão, inclusive porque teria sido eleita “pela maioria da categoria”, o que não é verdade, pois em 2007 a chapa “Para Todos” recebeu 36% dos votos válidos, não a maioria absoluta. Até ao fazer contas eles manipulam números.


Portanto, para que assembléia se está tudo tão bem encaminhado? Assembléia boa é assembléia só de informes ou para homologar aquilo que a Diretoria já definiu, certo? Como aquela assembléia de dezembro/2005, chamada apenas para dizer “amém” à compra superfaturada de uma “chácara” que já tinha ocorrido ANTES da assembléia.



Essa é a “democracia” do nero-messianismo. O Messias está entre nós. A seu rebanho só cabe ouvir e dizer amém.

terça-feira, 15 de julho de 2008

Convenção aberta da UFPR discute programa e candidatura à Reitoria

Nenhum comentário:
Desde 3 de julho, professores, técnicos e alunos vem se reunindo numa "Convenção" aberta para discutir os rumos da UFPR, agora que haverá eleição para a Reitoria. A reunião foi proposta por um grupo de professores e contou também com apoio e participação da própria reitora em exercício Márcia Mendonça. Realizaram-se no auditório do Setor de Ciências Agrárias três reuniões, pelas quais já passaram mais de 100 pessoas. A discussão tem girado mais em torno da plataforma para a gestão 2008-2012, não ainda em definitivo sobre candidaturas.

O candidato já assumido Zaki Akel foi convidado a participar da Convenção, sem qualquer obrigação de compromisso, mas recusou-se a ir, preferindo fazer reuniões exclusivas suas com alguns grupos menores. Com isso, nem deu a conhecer suas idéias nem parece querer ouvir as da reunião ampla no Setor de Agrárias.


Nesta terça-feira, 15/7, a partir das 18h30, também no Setor de Agrárias, ocorre nova reunião, igualmente aberta a qualquer membro da comunidade da UFPR. Existe grande expectativa de que, na reunião de hoje, a professora Márcia Mendonça anuncie sua disposição de disputar a Reitoria, abraçando o Programa democraticamente debatido pela Convenção. Se isso acontecer, é quase certo que o quadro de postulantes à Reitoria estará completo.

Movimento Sindical e Eleição Municipal

3 comentários:

Que papel pode desempenhar uma entidade sindical que deve organizar e orientar seus filiados quando acontece um importante momento político como o da eleição de prefeito e vereadores de outubro? Ignorar, não pronunciar-se, não tomar qualquer posição como se devesse somente restringir-se a assuntos sindicais? A eleição municipal de 2008, lembremos, prepara condições para a grande disputa presidencial de 2010...

Ou pode - se for uma entidade realmente classista e politizadora das bases - apresentar um posicionamento à categoria que represente os interesses dos trabalhadores quanto a seus futuros governantes municipais ? Os trabalhadores devem achar que tanto faz, tanto fez, quanto a quem ocupa o governo, ou devem discutir entre si qual o melhor quando chega a hora de votar? Mesmo nós técnico-administrativos sendo categoria federal, moramos numa cidade e somos afetados pelas políticas públicas e leis dessa cidade.

Sendo o posicionamento de uma entidade de massa, ao ser político, não pode ser partidarizado, isto é, indicando o nome deste ou daquele candidato, de tal ou qual partido. Mas é possível distinguir o campo de candidaturas que jogam contra os interesses populares do de outras de perfil mais progressista, no caso da disputa da prefeitura. Isso é importante considerando que a prefeitura curitibana há cerca de 3 décadas é dirigida pelas mesmas forças lernistas/tucanas, as quais formam a sustentação da tentativa de retorno dos partidos de FHC (PSDB) e Bornhausen (DEMo) ao comando do país, quando vier a eleição presidencial de 2010.

Quanto aos vereadores, há diversas candidaturas de estudantes, técnicos e professores da UFPR e UTFPR, que no mínimo seria interessante dar todas elas a conhecer para a base, evidentemente sem que um sindicato deva dar preferência a qualquer delas. Porém, pode cumprir a missão de informar via jornal e boletins. Dessas candidaturas provavelmente há para todos os gostos, da direita à esquerda.

Um SINDITEST politizador e informador de suas bases seria um passo à frente. Só não se sabe se quem hoje o dirige prefere ficar parado, como está.

domingo, 13 de julho de 2008

Márcia Mendonça poderá disputar eleição da Reitoria em agosto

Nenhum comentário:
De fontes do Setor de Ciências Biológicas vem a notícia de que existe movimentação de professores e servidores no sentido de que a vice-reitora, hoje reitora em exercício, professora Márcia Mendonça (foto), se afaste do cargo para poder disputar a eleição direta que está marcada para 20 de agosto. Uma reunião ocorrida naquele Setor na última sexta, 11/7, apontou nessa direção.

Candidaturas já claramente apresentadas são as dos professores Cid (Farmácia) e Zaki Akel (Administração). Esses dois nomes, no entanto, ainda não satisfazem interesses e anseios de boa parte da comunidade universitária, abrindo espaço para que outro(s) nome(s) se lancem. O prazo para inscrição de candidaturas à eleição direta vai de 21 a 25 de julho.


Ainda não surgiu um posicionamento claro e oficial da própria professora Márcia quanto a aceitar o desafio, assumindo também um discurso e uma plataforma eleitoral que vão além daquilo já proposto pela finada gestão Moreira. Nos próximos dias, o quadro eleitoral deverá ficar menos nebuloso.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Derrubada uma das MPs do reajuste do funcionalismo federal

3 comentários:
Câmara Federal rejeita MP 430/08 do crédito extraordinário

O plenário aprovou, na tarde de quarta-feira (9/7), parecer do deputado Colbert Martins (PMDB/BA) e considerou inadmitida a Medida Provisória 430/08, que abre crédito extraordinário de R$ 7,56 bilhões para o reajuste de cerca de 800 mil servidores por meio da MP 431/08.

Devido a uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que restringe a edição de MPs de crédito extraordinário somente aos casos previstos na Constituição (guerra, calamidade pública e comoção interna), o Governo enviou ao Congresso projeto de lei de igual teor ao da MP 430/08, já aprovado e transformado em lei. Por isso, o relator recomendou que a medida não fosse admitida.

As negociações avançam em torno da MP 431/08, que concede os reajustes diferenciados para 16 carreiras de servidores civis federais e os militares das Forças Armadas.

Reajuste dos servidores
Os líderes partidários tentam chegar a um acordo para a votação ainda hoje da Medida Provisória 431/08.

O deputado Magela (PT/DF), relator da MP, manteve negociações com representantes de diversos partidos, dos servidores envolvidos e dos ministérios para elaborar seu parecer.

Entretanto, os líderes da oposição não estão convictos de que a votação da matéria acontecerá nesta quarta-feira. O PSDB quer votá-la apenas na próxima semana para examinar as mudanças. A MP original contém 175 artigos, e foram apresentadas 260 emendas.

------------------------

Fonte: DIAP

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Discriminação política contra servidora

3 comentários:
Uma servidora da UFPR, a pedido da chefia, precisava deslocar-se a Brasília para um curso rápido de aperfeiçoamento em junho. Como a diária paga pela universidade é baixa para cobrir os custos atuais de hospedagem, deslocamento e alimentação na capital federal, essa servidora cogitou hospedar-se na "Casa da FASUBRA", alojamento mais barato destinado a servidores em trânsito por Brasília.

Para obter vaga na Casa da FASUBRA, é preciso reservá-la através do SINDITEST. Depois de muito solicitar, foi atendida de má vontade pela secretária geral Márcia Messias. O estranho do caso foi o teor do ofício endereçado pelo SINDITEST à FASUBRA, que nitidamente levanta suspeições absurdas contra a servidora solicitante. Escreve a secretária geral eleita do SINDITEST em ofício:

"Favor nos informar se o pedido pode ser atendido; lembrando que: A Servidora Guaracira Flores da Silva não faz parte da atual Diretoria do SINDITEST/PR, não esta autorizada a nos representar junto a esta Federação, bem como, não nos responsabilizamos por quaisquer despesas financeiras ou atos praticados pela mesma." [português original da secretaria do sindicato, desculpem os erros]

A servidora Guaracira - apenas por solicitar uma reserva de vaga num alojamento garantido pela Federação sindical à qual o SINDITEST é filiado - foi posta sob suspeição de irresponsabilidade por suas despesas e "atos" num local cuja sustentação financeira ela também paga através de sua mensalidade como qualquer outro sindicalizado do Brasil! Filiado do SINDITEST, peça o mesmo à Diretoria e seja assim tão "bem tratado"!

Não desculpa, mas claro está que a "obra" política da secretária do SINDITEST foi motivada pelo fato de Guaracira ter sido membro da anterior Diretoria do Sindicato e hoje militar ativamente na oposição ao grupelho "Para Todos" que desmanda no SINDITEST. Registramos, por outro lado, que vários diretores da FASUBRA acolheram o pedido de Guaracira e asseguraram seu alojamento mesmo que seu sindicato de base estivesse de má vontade.

Em contraste, vejam só: a atual Diretoria do SINDITEST oferece subsídio de 50% no custo da diária do Hotel Bristol (85 reais sem café, na rua XV) a filiados que vierem do interior para Curitiba, desconhecendo que existe uma subsede sindical na rua Dr. Faivre com condições mais baratas de alojamento (hoje trancada e sem uso). Estariam querendo seduzir filiados da área da UTFPR, onde sempre se deram mal, para seus futuros planos eleitorais?

E - não custa lembrar - os cinco diretores do SINDITEST que foram passear em Brasília por ocasião da última Plenária da FASUBRA (6-7 de junho) até agora não prestaram contas do que lá discutiram e fizeram pois sequer uma Assembléia Geral tiveram coragem de convocar.

Está aí mais uma mostra de o quanto "Para Todos" é a atual Diretoria do SINDITEST.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Quadro de candidaturas ainda indefinido na eleição da Reitoria da UFPR

Um comentário:
Uma reunião da Comissão do Conselho Universitário com representantes de entidades definiu a data de 20 de agosto para a eleição direta do reitor da UFPR. Mas os(as) interessados(as) em concorrer ao cargo abandonado pelo professor Moreira tem até o dia 25 de julho para se inscrever.


Antes da própria consolidação do quadro das candidaturas disputantes à Reitoria, persiste um impasse na composição da própria Comissão Eleitoral formada pelos representantes das entidades APUFPR, DCE e SINDITEST. Isto porque o sindicato dos técnico-administrativos, através de sua auto-suficiente Diretoria, recusa-se a abrir debate com a base para eleger democraticamente seus representantes para a Comissão e prefere designar seus próprios diretores, numa quebra da tradição plural das eleições diretas para a Reitoria. Por causa disso, corre na UFPR um abaixo-assinado da base pedindo a chamada de uma Assembléia Geral do SINDITEST. Até agora, a Diretoria sindical que se diz "Para Todos" faz-se de surda.


Quanto às candidaturas, somente há certeza de uma delas, a do diretor do setor de Ciências Sociais Aplicadas, prof. Zaki Akel. Akel, ex-pró-reitor de Planejamento da primeira gestão Moreira (2002-2006), vem fazendo reuniões com diversos setores e grupos da UFPR, sem definir com clareza seu programa e buscando se apresentar como candidato palatável tanto a setores de "situação" como da "oposição".


Outro nome que deve apresentar-se é o do professor Cid Aimbiré, do curso de Farmácia, que já disputou em 2005, ficando então na última colocação. Comenta-se que Cid poderia receber apoios que já foram dados ao professor Francisco Marques em 2005, vindos das atuais direções da APUFPR, SINDITEST e DCE. Entretanto, seu perfil político não combina com as teses do ultra-esquerdismo usualmente postas pela ANDES tais como as defendidas pelo prof. Francisco em 2005.


No campo dos diversos setores que compõem a atual administração da Reitoria, persiste indefinição quanto a lançar uma candidatura ou a apoiar Zaki Akel desde que em bases programáticas mais claras. Procurando conformar um Programa que tenha corte progressista e na busca de um nome unificador, diversos grupos de professores e servidores chamaram uma "Convenção" aberta, que já fez duas reuniões no setor de Agrárias, mas ainda sem chegar ao nome consensual. Alguns nomes que tal Convenção poderia lançar estão os dos professores Paulo Bracarense (Estatística), Valdo Cavalet (UFPR-Litoral) e mesmo o da professora Márcia Mendonça (Biologia), a qual teria que renunciar à condição de vice-reitora para concorrer ao cargo principal (e, neste caso, as chapas teriam que ser completas, com reitor e vice).


O fato é que a saída abrupta, em pleno meio de mandato, do professor Moreira, criou uma situação um tanto confusa, e, pior, com escasso tempo para que toda a comunidade possa conhecer mais de perto as candidaturas para poder votar com consciência no mês de agosto.

Encontro Regional da FASUBRA em agosto

Nenhum comentário:
De 22 a 24 de agosto deverá ocorrer em Pelotas o Encontro Regional Sul da FASUBRA. O Encontro debate temas importantes da conjuntura e da carreira dos servidores técnicos, deliberando assuntos ao nível regional e preparando para o próximo Congresso Nacional da FASUBRA (que acontecerá provavelmente em 2009). Para este tipo de encontro, os participantes de cada universidade podem ser delegados e observadores, apenas os primeiros com direito a voto, e eleitos segundo o Estatuto da FASUBRA.


A informação que temos é de que o Sinditest disponibilizará um ônibus para os servidores interessados da UFPR e da UTFPR, sendo necessário pedir inscrição para viajar na delegação com a diretora de imprensa Carla Cobalchini, indo ao Sinditest ou ligando no 3362-7373.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Reunião do Pessoal NS do HC dia 8/7

3 comentários:
Em seqüência às reuniões com os técnicos que ocupam cargos de Nível Superior já ocorridas no Centro Politécnico/Campus Botânico e na Biblioteca Central (servidores dos campi centrais), na próxima terça-feira, dia 8/7, acontece mais um encontro, agora destinado ao pessoal NS lotado no Hospital de Clínicas.


A pauta inclui os seguintes itens:
Pressão sobre a quebra da linearidade da tabela salarial; Forum Nacional dos NS e criação de uma Associação Nacional (ATNS); Encontro Regional Sul da FASUBRA; Eleição de Reitor em agosto.



Dia: 8 de Julho (3a.-feira) - 12h30

Local: Sala 1 do Anexo B do HC



Contatos:
Rita Kavulak (kavulak@ufpr.br; 3361-3398);
Guaracira Silva (guara@ufpr.br; 3360-5341).

Democracia "Para Todos" ou para poucos?

3 comentários:
Prosseguiremos cobrando: em respeito a uma história de duas décadas em que se organiza a eleição direta do reitor da UFPR, defendemos que a Comissão Eleitoral seja composta por membros referendados por Assembléia Geral das respectivas entidades.


A APUFPR fez sua assembléia e elegeu os representantes dos professores. O SINDITEST não fez nem pretende chamar assembléia geral. Quer, ao invés disso, impingir três diretores escolhidos apenas dentro da Diretoria, conforme anunciam em matéria de ontem no site do sindicato, os quais consideramos nada menos que usurpadores do direito de representação ampla dos técnicos. Os nomes dos usurpadores: diretores Dr. Antonio Neris (HC), José Carlos Assis (HC), Ernani Borelli e Bernardo Pilotto (HC).


Buscando dar legitimidade à representação dos técnicos, um abaixo-assinado circula pela UFPR requerendo da Diretoria "Para Todos" (???) que convoque Assembléia Geral onde se elejam os membros à Comissão Eleitoral da Reitoria. O resto é empulhação. Mas, no reino do novo Messias, estamos nos acostumando a isso...

Sindicalismo leviano apóia homicida

10 comentários:
Tem assuntos que a prudência recomenda não meter a colher antes de muito refletir, sob pena de misturar alhos com bugalhos. Desprezar essa prudência é o que fez a Diretoria do SINDITEST ao publicar em seu site a matéria "Os limites de uma trabalhadora do HC", em 4/7/2008, sobre o triste caso da auxiliar de enfermagem que assassinou sua filha de 8 meses atirando-a do 6º andar em pleno centro da cidade (clique aqui para reler a reportagem na Gazeta do Povo; Foto, do mesmo jornal)


A tragédia ocorreu dia 30/6 e prosseguem as investigações para desvendar com exatidão o que levou a mãe a praticar homicídio. Autoridades adiantaram a informação de que Tatiana sofreria de distúrbio bipolar (Psicose Maníaco-Depressiva, P.M.D.), uma severa psicose em que o doente alterna períodos de agitação maníaca com fases de funda depressão. A PMD é doença grave que exige tratamento permanente e cujas fases alternantes não dependem necessariamente das condições do ambiente onde vive o paciente. A imprensa relata que ela já passou por internações psiquiátricas.


No afã de mostrar suposta "combatividade", a Diretoria do SINDITEST insinua que condições de trabalho estressantes do HC (como em geral são nos hospitais) provocariam doenças mentais como aquela que levou a funcionária Tatiana a matar sua filha. A Diretoria denuncia que a mídia pinta a mãe como um "monstro", mas cai no extremo oposto, sendo espantosamente compreensiva com o homicídio: "nós, da Diretoria do SINDITEST também queremos declarar nosso apoio à servidora." Uma posição como essa é inaceitável: ainda que sob efeito de grande perturbação mental, a mãe cometeu um crime contra a vida. A raciocinar desse jeito, valeria o alerta: "filhos de servidores do HC, fiquem espertos quando seus pais chegarem em casa depois do trabalho!"


Uma tragédia como essa é séria demais para servir de objeto a demagogia sindicaleira. A Diretoria do SINDITEST deveria respeitar o sofrimento daquela família e parar de fazer politicagem barata.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Democracia é bom no quintal do vizinho

8 comentários:
E não é que estávamos certos? Os diretores do SINDITEST que vivem cantando em verso e prosa a necessidade da democracia na universidade, quando se trata de praticá-la em seu próprio terreiro, a coisa muda de figura.


Para montar a Comissão Eleitoral que vai organizar a escolha direta do novo reitor, os professores escolheram representantes em assembléia geral. Parece que os alunos também teriam convocado instância mais ampla que a diretoria do DCE para designar seus representantes, mas não temos uma confirmação. Trata-se de uma prática política consolidada ao longo de mais de 20 anos em que se organizam as eleições diretas de reitor, para que o processo corra de modo aberto para alunos, professores e funionários.


Parece que a "extraordinária" diretoria do SINDITEST resolveu inovar. Para pior. Ontem teve um primeiro encontro entre a Comissão do CoUn e os representantes das entidades. Alguns integrantes deste grupo, mais Mário Setim e a conselheira Ligia Setenareski, estiveram nessa reunião, para questionar a legitimidade dos senhores Bernardo Pilotto, Josè Carlos e Ernani Borelli (diretores do SINDITEST) de representarem as posições dos técnicos na organização da eleição. Questionamos, deixamos claro que não os consideramos nossos representantes mas sim usurpadores da vontade coletiva para conduzir esse processo e exigimos uma Assembléia Geral para eleger representantes legítimos dos técnicos.


Hoje tivemos a confirmação, por parte da Diretoria do SINDITEST, de que é essa posição antidemocrática a que querem que prevaleça e não farão assembléia geral para debater a organização da eleição do novo reitor ou tirar representantes da base. Bonito, né? Questionam a postura democrática das instâncias dirigentes de outras plagas, mas quando se trata da sua...


Curiosíssimo que essas pessoas se apresentem como paladinos da democracia, mas quando se trata de praticá-la em seu próprio "quintal", neca!


Estamos convocando a partir disso os servidores para apoiarem num abaixo-assinado a convocação de uma assembléia geral que eleja legítimos representantes da BASE para coordenar a eleição do futuro reitor da UFPR. Qualquer diretor do SInditest que se arrogue a esse papel, sem mandato de uma assembléia, não passa de um usurpador!!