-->

Luta sem trégua contra o governo usurpador

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Paralisação chamada pela FASUBRA e Sinditest para 2 de agosto

Nenhum comentário:
Na manhã de hoje (20/07), ocorreu no Anfiteatro 1oo do Edifício D. Pedro I uma assembleia chamada pela direção do Sinditest para debater a adesão ao "Dia Nacional de Luta e Paralisações", nacionalmente convocado pela última Plenária da FASUBRA.  Compareceram à assembleia cerca de 40 técnicos.

Entre os eixos do Dia Nacional estão a defesa das Instituições públicas de ensino superior contra os brutais cortes orçamentários do (des)governo Temer e a luta pela abertura de negociações salariais do governo federal com os TAE.

Mas também - em conformidade com nossas palavras-de-ordem de "Fora Temer" e "Diretas Já" - coloca-se o acompanhamento da votação, pelo plenário da Câmara Federal, da autorização para que o STF investigue o presidente usurpador pela denúncia da PGR de crime de corrupção passiva.  Esta votação está marcada para 2 de agosto, razão pela qual nesse dia se dará o Dia Nacional da FASUBRA e sindicatos de base.

A assembleia do Sinditest no Anf. 100 aprovou realizar ações de luta no dia 2 de agosto e deve também ser feita uma vigília diante da TV para acompanhar a votação em Brasília.

Por que moro é um impostor

Nenhum comentário:
As coisas devem ser chamadas pelo nome. O juiz sergio moro não passa de um impostor em pelo menos alguns dos significados que o dicionário Houaiss atribui a este vocábulo: “que ou quem é cheio de si, soberbo; vaidoso; que ou quem se aproveita da credulidade e da ignorância de outrem para ludibriá-lo; hipócrita.”

Por Joaquim Xavier, no site Conversa Afiada

Sua primeira sentença contra o ex-presidente Lula, a réplica aos advogados de defesa e o bloqueio de bens de Lula comprovam inapelavelmente como as definições lhe cabem como uma luva.

Vamos aos fatos. O impostor de Curitiba gastou centenas de parágrafos para condenar o maior líder popular do país sem uma única prova cabal. O desvario da peça acusatória foi demonstrado por especialistas de todas as partes do planeta. Basta um passar de olhos em sites da imprensa nacional e internacional.

Ele decidiu condenar Lula porque tem convicção de que ele é culpado. Na cabeça deste cidadão travestido de magistrado, sua certeza basta. O soberbo e vaidoso considera-se acima de tudo: da lei, das evidências, dos fatos. Produto de seus delírios, na mesma sentença, contudo, o aprendiz de celebridade usa critérios totalmente diferentes para justificar o vazamento de uma conversa reservada entre Lula e Dilma - este sim um crime comprovado.

O inquisidor curitibano conhecia a ilegalidade do grampo. Mesmo assim, vazou sua delinquência para páginas e telejornais escolhidos a dedo. Mas, neste caso, o rapaz cheio de si atribui o seu próprio crime confesso a uma rotina de “erros e acertos comuns no judiciário”. É o caso de imaginar a recepção reservada a moro caso tivesse coragem de defender sua cantilena em penitenciárias onde se amontoam milhares de vítimas de penas injustas e retardamento de alvarás de soltura, além de inocentes injustamente trancafiados.

O abuso da credulidade e ignorância alheias, bem como a hipocrisia, aparecem por inteiro na réplica aos argumentos dos advogados. Mais importante que tudo, moro admite por escrito que os crimes atribuídos a Lula não têm nenhuma conexão com atos ilícitos na Petrobras. Faz isto pela absoluta impossibilidade de provar a troca de um apartamento por favores concedidos a uma empreiteira prestadora de serviços à estatal. Pois bem: se não há conexão entre os dois fatos, como falar em corrupção passiva? Houaiss explica.

Mas como qualquer sujeito cheio de si, soberbo, vaidoso, mentiroso, o impostor moro não se detém. Mergulhado na própria ficção, resolveu bloquear os bens de Lula. Não basta tentar desmoralizar o ex-presidente, humilhá-lo. É preciso surrupiar seus bens e, se possível, lançar Lula à miséria material. Deixá-lo vivo, deve achar o “juiz”, já está de bom tamanho.

Não fosse aqui o Brasil, seria inacreditável ver um impostor deste tamanho se arvorando em paladino do Direito que ele só faz pisotear.

E o silêncio escandaloso de órgãos como o Conselho Nacional de Justiça e o Supremo Tribunal Federal explicam por que o Judiciário nacional afunda sem parar na falta de credibilidade geral.

Pela democracia e contra as "reformas" neoliberais de Temer, ato hoje na Rua XV

Nenhum comentário:
Nesta quinta-feira, 20/07, a partir das 17h30, as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo realizam um protesto contra as "deformas" trabalhista e previdenciária do desgoverno Temer.  Ele já conseguiu rasgar a CLT com apoio de senadores-empresários ou testas-de-ferro de empresários. Mas, no momento, o usurpador tenta escapar das denúncias da PGR.

Também o ato se volta para a denúncia do arbítrio do "juiz" justiceiro criptofascista sérgio moro (minúsculas para esse ser minúsculo) ao condenar o ex-presidente Lula sem provas por um triplex que jamais foi de Lula. E ainda por cima confisca as merrecas de Lula em contas bancárias.  O "juiz" não passa de um agente político da direita.  É preciso defender Lula não como candidato, mas como cidadão abusado em seus direitos.

O Ato ocorre na esquina da "Mulher da Cobra" (aquela que anuncia todo o dia bilhetes de loteria), entre Rua das Flores e Rua Monsenhor Celso.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Debate de alto nível na Diretoria do Sinditest

Nenhum comentário:
Comprar um Fiat Dobló ou uma camionete Hilux como novo carro do Sinditest?  Renault, Volkswagen, Hiunday, Toyota, KIA?  Certamente os diretores tem sólidos fundamentos teóricos e políticos para fazer a melhor escolha, no interesse dos filiados contribuintes (que nunca usarão tal veículo).

Além do mais, há que se adquirir um veículo que permita aos passageiros poderem descansar dentro dele próprio, quando a necessidade de repouso (ou de lazer) se impuser.  Tudo pelo bom aparelhamento do sindicato.

Enquanto isso, a luta corre e a diretoria... bem, a diretoria é isso aí.

Volta, PSTU!

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Temer declara guerra total ao povo

Nenhum comentário:
Símbolo: Congresso de picaretas protegido pela cavalaria contra o povo

O governo Temer escancarou sua face. Com um decreto assinado há pouco, convocou as Forças Armadas para reprimir manifestações. Além de uma máquina de corrupção, o usurpador do Planalto mostrou dirigir uma máquina de guerra contra o povo.

Mais de cem mil pessoas reuniram-se pacificamente em Brasília pedindo a renúncia do fantoche, eleições diretas e dando um sonoro não às reformas liquidadoras da aposentadoria e dos direitos trabalhistas. O que encontraram? Soldados armados até os dentes e dispostos a atacar uma manifestação democrática.

Há dezenas de feridos. Um deles, pelo menos, foi atingido por uma bala e está no hospital. Bombas de gás e de efeito (i)moral são disparadas incessantemente contra trabalhadoras, trabalhadores e jovens desarmados. Um cenário típico dos tempos de ditadura militar.

Temer e sua quadrilha não tem qualquer condição de continuar no poder. Sua ofensiva contra a manifestação de hoje não deixa dúvidas. Mais e mais, o governo golpista só pode recorrer à repressão. Não há argumento capaz, numa democracia, de defender por mais nem um dia um mandatário enlameado dos pés à cabeça pela corrupção explícita e tingido de sangue de manifestantes.

A permanência no Planalto do fantoche a serviço de interesses reacionários é uma verdadeira provocação ao povo brasileiro. Os números não mentem: 14 milhões de desempregados, milhões de famílias em desespero, milhares de empresas fechando, inadimplência se alastrando. Agora, repressão covarde em larga escala. Tudo isso obra de uma administração ilegítima e desmoralizada até mesmo entre muitos que embarcaram na aventura golpista.

A tragédia vista hoje em Brasília é um novo sinal de que a mobilização popular é o verdadeiro inimigo dos poderosos. Os conchavos para impor um presidente eleito indiretamente por este Congresso de paus mandados nem de longe representa uma saída para o país. Mais do que nunca, é hora de sair às ruas e gritar: Fora Temer. Diretas Já.
---------------------

Moro, nos EUA, se compara a Eliot Ness. O doutor sabe o fim da história?

Um comentário:
No último domingo (21), Curitiba exibiu-se para os gringos, numa edição do programa “60 minutes”, da rede CBS.

Por Fernando Brito, no blog Tijolaço

O cidadão da 'república de Curitiba', Deltan Dallagnol, pavoneou sua megalomania dizendo que a Lava Jato é “muito, muito maior do que o escândalo do Watergate” que derrubou o presidente norte-americano Richard Nixon.

Mas Sérgio Moro superou Deltan.

Comparou-se a Eliot Ness, o agente do Tesouro dos EUA (que não se perca pela função) que prendeu Al Capone.

Normalmente não faria isso, mas, como juiz que se mete a estrela, sucumbe à vaidade e se acha "intocável", acaba por merecer.

É que o Dr. Moro talvez não conheça o que aconteceu com Eliot Ness, o de verdade, não o Kevin Costner do filme.

O caso de Ness com Capone não foi o que levou o mafioso à cadeia.

Cheio de fama, foi ser o homem-forte da segurança na cidade de Cleveland, onde se revelou ineficiente e cruel, chegando a atear fogo a favelas na cidade. Tentou ser prefeito, não se elegeu e acabou, dizem, se metendo num acidente de automóvel, onde suspeitou-se que ele – o homem da Lei Seca – dirigia embriagado.

Foi trabalhar na segurança da Diebold, esta que fabrica nossas urnas eletrônicas, mas foi mandado embora e morreu na miséria, no ostracismo e na depressão.

A vida, Dr. Moro, não é um filme de Hollywood. E, quando parece ser, em geral termina com o cenário desmoronando.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Fora Temer! Diretas Já!

Nenhum comentário:

Neste 24 de maio, participe das manifestações exigindo a saída do ladrão Temer da presidência ilegitimamente usurpada!  Haverá atos em diversas cidades brasileiras e o principal ocorrendo em Brasília, para onde se dirigem dezenas de caravanas de diversas regiões da nação.

Em Curitiba, o Ato do #ForaTemer e por eleições diretas já ocorre a partir das 18 horas, na Praça Santos Andrade.

30 horas podem ser retiradas de muitos servidores da UFPR em 2017

Nenhum comentário:
Atendendo a insistentes pressões da CGU, a reitoria da UFPR constituiu uma nova "Comissão das 30 horas" - nomeadamente para revisar os processos de flexibilização da jornada.  Veja-se o que dispõe a portaria 329 acima: "comissão para revisão da Resolução nº 56/2011-COPLAD, que estabelece normas sobre a flexibilização da jornada."

A nova Comissão inclui três dirigentes do Sinditest: Carla Cobalchini, Mariane Siqueira e Elias da Silva 

Nos marcos do ilegítimo governo Temer, que corta verbas das Universidades Públicas, arrocha salários e congela concursos, alguém acha que a tal "revisão" seja para ampliar a concessão da jornada flexível?

Nos próximos meses, por todos os indicadores existentes, a jornada de 30 horas será cortada para muitos servidores e ver-se-á (mesóclise do Temer!!) mais um retrocesso numa conquista dos TAE.

Arrombe primeiro, dialogue depois

Um comentário:
Em matéria datada de 19 de maio, no site da UFPR, a Assessoria de Comunicação da Reitoria elogia a capacidade de diálogo do reitor para resolução de conflitos internos, como o que envolveu recentemente o setor de Ciências Exatas e o de Ciências Tecnológicas. 

"O reitor Ricardo Marcelo Fonseca destacou o fato de a entrega dos espaços ter sido antecedida por um amplo e democrático processo de diálogo e de negociação envolvendo a Reitoria e as direções dos Setores de Tecnologia e de Exatas", diz a matéria.

O Setor de Ciências Exatas ocupava diversas salas no prédio da administração no Centro Politécnico, espaço reivindicado pelas Tecnológicas.  Em 6 de março último, a Superintendência de Infraestrutura (SUINFRA) trocou as fechaduras dessas salas e as manteve fechadas por dois meses, expulsando o pessoal das Exatas.

Agora, vem a notícia de que o impasse Exatas x Tecnológicas foi solucionado, por mediação do reitor Ricardo Marcelo.

Diante dos "meios civilizados" empregados em 6 de março para ocupar os espaços, fica a dica: arrombe primeiro, depois anuncie que está construindo o diálogo.
---------------
Foto: Samira Neves, SCS

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Vítimas se unem contra Moro

Nenhum comentário:
O juiz sérgio moro (minúsculas sempre) será alvo na próxima terça (11) de um ato pela liberdade de expressão e contra a criminalização do livre pensamento, no Rio, cujas vítimas do ‘abuso de autoridade’ do magistrado estudam criar uma associação.

Por Esmael Morais, em seu Blog

O evento acontece no dia em que o serventuário da Justiça Federal, Roberto Ponciano, também diretor da CUT-Rio, convocado pela PF, irá depor em razão de uma investigação por possíveis crimes de injúria, ameaça e incitação ao crime contra o juiz sérgio moro.

O ‘Ato contra o Estado de Exceção e contra o “crime” de 'pensar’ também tem por objetivo prestar solidariedade ao petroleiro e sindicalista Emanuel Cancella, autor do livro ‘A Outra Face de sergio’, obra que critica os efeitos da Lava Jato na Petrobrás e cadeia produtiva do petróleo e ao blogueiro Eduardo Guimarães, editor do Blog da Cidadania também investigados e processados por suposto crime de opinião contra o juiz sergio moro e obstrução dos trabalhos da Operação Lava Jato, respectivamente.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR), relator do PLS 280/2016, que pune abuso de autoridade de juízes e integrantes do Ministério Público, deverá receber a “vítimas” de moro na véspera da votação da matéria pelo plenário do Senado

Fina flor do reacionarismo financia o filme Merda a Jato

Nenhum comentário:
Agora sabemos, pelo menos em parte. Gente ligada à franquia Madero, à Gazeta do Povo, à FIEP, à ACP está produzindo o filme "A lei é para todos (menos para os tucanos", que pretende endeusar o justiceiro sérgio moro e os procuradores da Lava Jato.  Tudo devidamente encomendado pela CIA.

domingo, 2 de abril de 2017

Coroné Tertuliano marca data para retomar seu naco de terra no CP

Nenhum comentário:
Parece que o pessoal do Centro Politécnico assistirá amanhã, 3 de abril, a mais um episódio de "reintegração de posse".  No caso, do espaço usado pela empresa júnior de informática (ligada ao Setor de Ciências Exatas), no quinto andar do prédio de administração do campus CP.

O primeiro episódio foi a invasão inadvertida, pelo superintendente da SuInfra, de diversas salas do Setor de Exatas, no mesmo prédio, em 6 de março último, com troca de fechaduras.  Evidente exemplo de "diálogo democrático" em tempos de gestão Ricardiana.  Até hoje os que tiveram suas salas invadidas aguardam uma tomada de posição clara do reitor.


Desta vez o "coronel" do Setor de Tecnologia, professor Horácio Tertuliano, dispensou intermediários da SuInfra e ele mesmo oficiou ao presidente da INFO JR a ameaça de que a área ocupada pela empresa júnior de informática "será por nós [eles do Setor de Tecnológicas] legalmente ocupada no próximo dia 3 do corrente ano", conforme se lê no ofício acima (clique na imagem para ampliar).

Que diz o reitor diante dessa pressão do "coroné" bem como da precedente invasão de 6 de março?  Não sabemos ao certo, mas tem-se contentado em pedir o "diálogo" e posterga mediar um encontro entre as partes em litígio.  Ora, estimular o diálogo e mediar conflitos não pode ser mais apenas peça de retórica (como podia ser na campanha eleitoral do ano passado), mas uma prática real e efetiva.

Fica-se na expectativa de como será a "reintegração de posse" da área da INFO JR amanhã.

Programa "Ciência Sem Fronteiras" do MEC já era

2 comentários:
Mais um programa de destaque da Era Lula/Dilma que é extinto pelo governo golpista de Temer. Foi cancelado o programa Ciência Sem Fronteiras, que pagava cursos de graduação para estudantes no exterior.

O ministro golpista do MEC, o Merdoncinha Filho (do DEM-PE), alega que prefere usar os recursos investidos no CSF em "merenda para a educação básica".  De merenda os golpistas entendem bem, especialmente os tucanos paulistas, experts na arte de roubar-lhes os recursos.

Diz ainda o MEC do traíra Temer que o CSF não trazia resultados porque os estudantes enviados para universidades europeias e americanas tinham "deficiência em inglês".  Todos os 30 mil estudantes enviados ao exterior eram ruins em inglês?  Ora, grande número dos alunos que ingressam hoje nas universidades federais já tem uma razoável proficiência em inglês.

O que sobressai disso é que o Brazil de mentira de Temer prefere manter seus jovens distantes de oportunidades de aprimoramento e economizar dinheiro para pagar juros a banqueiro.

terça-feira, 21 de março de 2017

Lava Jato sequestra blogueiro Eduardo Guimarães

Nenhum comentário:
Eduardo Guimarães, do blog Cidadania, acaba de ser vítima de violência judicial, ou mais especificamente, de um sequestro judicial, que é o nome que damos a essa ilegalidade chamada condução coercitiva.

Por Miguel do Rosário, no site O Cafezinho

A notícia foi confirmada pelo advogado Pedro Serrano, que informou já ter enviado profissionais para a delegacia da Lapa, São Paulo.  Segundo conhecidos, o motivo seriam investigações sobre um vazamento de notícia sobre a condução coercitiva de Lula, que o blog Cidadania antecipou com exclusividade.

Não poderia haver nada mais ridículo: sequestro judicial de jornalista que divulgou vazamento de informação!

O Brasil vive um regime de exceção, isso já está mais do que claro.

A grande imprensa dá, todos os dias, vazamentos sobre a Lava Jato.  O juiz Sergio Moro vazou, ilegalmente, gravações íntimas e privadas do presidente Lula e da presidenta Dilma.

Mas eles, mídia e judiciário, protagonistas do golpe, podem cometer qualquer crime, inclusive o pior de todos, que foi avalizar o impeachment sem crime da presidenta Dilma, jogando no lixo mais de 54 milhões de votos.

Para mim, essa notícia revela um judiciário desmoralizado e uma Polícia Federal completamente ensandecida, um fio desencapado, sem controle.

E tudo isso enquanto temos um governo ilegítimo, fraco, refém do próprio Judiciário e, sobretudo, da grande mídia.

A Lava Jato está na rua hoje, fazendo mais uma de suas operações midiáticas, espalhafatosas, vazadas antecipadamente para a grande mídia, desviando atenções, com o fiasco que foi essa sub-lava jato da carne, da crise econômica e das votações antissociais em curso no congresso.

Enquanto a polícia federal toca o bumbo na rua, o congresso detona a previdência, as leis trabalhistas, os direitos sociais.

Já destruíram a economia e a democracia, e agora querem censurar quem os denuncia?

Joãozinho-Quer-Cargo prossegue sua saga desinteressada por...

Um comentário:

Já foram duas postagens recentes dos perfis fake de Joãozinho-Sabe-Tudo (o tal do "Lourenço" e o tal do "Murilo"), uma datada de 16/03, outra de ontem.  Ambas supostamente para, de modo "desinteressado", é claro, analisar as novas composições de pessoal de chefia nas pró-reitorias PROGEPE, PRA, PROGRAD e PRPPG da nova gestão 2017-2020  do professor Ricardo Marcelo.

JST parece inconformado ao constatar que não teria havido trocas em profundidade nas CDs e FGs dessas pró-reitorias.  Sabemos que, em 2016, JST fez ardorosa campanha pela vitória de Ricardo Marcelo à reitoria e até usou suas postagens fake para combater duramente a chapa oposicionista de Marcos Sunye, com especial predileção por ataques contra a candidata Andrea Caldas.


Então, de repente, não mais que de repente, não sobrou nenhuma recompensazinha para o pobre cruzado da moralidade administrativa?  Seja generoso, sr. reitor, não deixe o rapaz chupando dedo.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Plenária da FASUBRA aprova calendário de lutas contra as reformas de Temer

Nenhum comentário:
No último fim de semana (18 e 19/03), ocorreu em Brasília mais uma plenária dos sindicatos de base da FASUBRA.  O Sinditest enviou sete delegados/as: Olivir Freitas e Patrícia Pott, da oposição sindical de base; também Mariane, Yousef, Priscila, Maria Aparecida e Michele (UTFPR), estes cinco últimos ligados à Diretoria do Sinditest.

No sábado (18), houve a apresentação de resoluções administrativas da Federação ao longo desta gestão, bem como estudos para a realização do próximo Congresso nacional da FASUBRA, que ocorrerá em novembro deste ano.

Delegados e delegadas debateram exaustivamente a conjuntura nacional, com foco particular nas contra-reformas do usurpador Michel Temer para acabar com a previdência social e com a CLT. O debate se estendeu à manhã de domingo, quando foram aprovados os encaminhamentos, o calendário de lutas e a campanha salarial.

Calendário de lutas
Em 20 e 21/03 a FASUBRA realizará ações no Congresso Nacional contra a terceirização, contra o fim da gratuidade na pós-graduação nas instituições federais de ensino e contra a regulamentação do direito de greve.

A PEC 395/14, referente ao fim da gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais de educação básica, e na educação superior para os cursos regulares de graduação, mestrado e doutorado, está na pauta para votação em segundo turno em 22 de março.

De acordo com o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), o PL 4.302/98 em fase final de tramitação, já aprovado com modificações pelo Senado, amplia a terceirização geral para atividade-fim da empresa, entre outras alterações na CLT que irão prejudicar os assalariados nas relações de trabalho. Caso seja aprovado pela Câmara vai à sanção presidencial.

Na pauta congressual está ainda o requerimento de urgência para o PLS 710/11, do senador tucano Aloysio Nunes (PSDB-SP), que regulamenta o direito de greve no serviço público. O texto determina que a paralisação poderá ser decretada somente após negativa do poder público de atender às reivindicações e aprovação numa assembleia. O texto também obriga a manutenção de 50%, 60% ou 80% do efetivo, dependendo da importância da prestação dos serviços, segundo o DIAP.


A provável data de votação da PEC 287/16 (Reforma da Previdência), 28 de março, é o Dia Nacional de Luta Contra as Reforma da Previdência e Trabalhista, e em Defesa dos Serviços Públicos, com atividades nos Estados e paralisação onde for possível. Nos Estados, serão realizados atos unificados com todas as entidades do serviço público, centrais e demais movimentos sociais, com realização de vigílias nas Superintendências da Previdência Social nos Estados. Também será intensificada a pressão aos parlamentares nos aeroportos.

Proposta de Caravana a Brasília e Greve Geral
A FASUBRA vai levar a proposta de realização de uma caravana a Brasília para as centrais sindicais e o conjunto dos movimentos sociais visando à construção de uma frente única contra as reformas da previdência e trabalhista. A Federação também vai oficiar às centrais sindicais a proposta de convocar uma greve geral em todo o país.

Campanha Salarial
A Plenária Nacional Estatutária da FASUBRA aprovou a seguinte pauta para a campanha salarial específica dos TAEs:

*Inflação do período de 2015 a 2017, mais 2% de aumento real no piso da carreira.
*Reajuste dos benefícios com o mesmo índice, com diferencial para o Plano de Saúde no qual queremos um reajuste que acompanhe os reajustes da Agência Nacional de Saúde (ANS).
*Não ao corte de recursos no orçamento destinados à educação e recomposição das perdas do último período.
*Nenhuma interferência do governo e órgãos de controle em ações judiciais ganhas pelos trabalhadores.
* Nomeação imediata dos reitores eleitos pela comunidade universitária.
* Contra a Lei da Mordaça e a reforma do ensino médio.

Congresso da FASUBRA
Objeto de aguda polêmica na plenária da FASUBRA foi a data de seu próximo Congresso.  A maioria da Diretoria, composta pelas correntes ultraesquerdistas do movimento (VAL, BASE, PSL), tentava prorrogar ainda mais seu mandato até 2018.  As correntes ligadas à CUT e à CTB defenderam a realização do CONFASUBRA em novembro deste ano, tendo esta data vencido a votação pelos delegados com o seguinte placar: 89 votos a favor de 2017, 79 votos por 2018 e 10 abstenções.
---------------------------
Com informações da FASUBRA Sindical

domingo, 19 de março de 2017

Invasão do Setor de Exatas: APUFPR publica nota crítica

Nenhum comentário:
Conforme noticiou este Blog, o professor que entende muito de canos, hoje chefe da SuInfra, invadiu salas do Setor de Ciências Exatas no dia 6/3, trocando fechaduras e promovendo uma baita confusão.  A ação autoritária gerou críticas na UFPR, além das óbvias oriundas do próprio setor vilipendiado em suas instalações.

No último 14 de março, a Associação dos Professores da UFPR (APUFPR) emitiu Nota condenando a atitude do professor Sérgio Braga, endereçada em ofício ao reitor Ricardo Marcelo. Na Nota, assinada pela professora Maria Suely (foto), a APUFPR "espera que as condições sejam devolvidas à sua situação anterior ao ato promovido pela Superintendência de Infraestrutura".  

Além disso, considerando a atitude da SuInfra um "desvio autoritário", pede que o colegiado superior da UFPR paute com urgência a resolução do conflito.


Por ora, não se tem notícia de algum movimento mais concreto da Reitoria no sentido de dirimir esses atritos, mantendo a perplexidade no setor invadido.

Para ler a íntegra da Nota da APUFPR, clique aqui.

Carne Fraca: o xadrez para entender a doideira da PF

Nenhum comentário:
A perda de controle sobre a PF e o MPF está promovendo a destruição de setores relevantes na geração de divisas, emprego e tributos.

Por Luís Nassif, no Jornal GGN

Peça 1 – o ambiente interno na Polícia Federal

O maior erro de Dilma Rousseff foi a indicação de José Eduardo Cardozo para Ministro da Justiça. Os dois erros seguintes foram consequência natural do primeiro erro: a indicação do Procurador Geral da República Rodrigo Janot e do Diretor Geral da Polícia Federal Leandro Daiello Coimbra.

Aliás, o erro maior foi quando, pressionado por Gilmar Mendes, Lula afastou o delegado Paulo Lacerda do governo.

A Polícia Federal é composta por vários grupos políticos, sob muita influência do PSDB. Lacerda era o único delegado com liderança que se sobrepunha aos grupos e mantinha a corporação sob controle...



Peça 2 – onde entra a Operação Carne Fraca

Há um jogo de interesses claros entre os delegados do Paraná, os procuradores e Daiello. Do lado da PF do Paraná, os principais operadores são o delegado Maurício Moscardi Grillo, o mesmo que tentou censurar jornalistas, e o delegado Igor Romário de Paula. Ambos criaram um poder paralelo dentro da PF.

A Operação Carne Fraca se insere nessas disputas internas da PF. Igor Romário abriu um inquérito contra Valeixo, para afasta-lo da disputa. Moscardi monta a operação para fortalecer Daiello.

Seu espaço político é garantido pela parceria com a mídia e pela promessa, nunca cumprida, de levar Lula à prisão...



Peça 3 – onde entra o Brasil

Foi uma luta árdua do país, para assumir um protagonismo no mercado mundial de alimentos e, especialmente, no comércio mundial de carnes.

Atualmente, só as exportações de carne bovina, suína e de frango rendem US$ 12 bilhões por ano, para um mercado diversificado, que inclui Arábia Saudita, China e Japão. 

Para a Europa, as exportações começaram em 2000. E apenas no ano passado, o país conseguiu aprovação para embarcar carne in natura para os Estados Unidos, cumprindo todas suas exigências...



Peça 4 – como impedir que PF e MPF destruam a economia

A perda de controle sobre a PF e o MPF está promovendo a destruição de setores relevantes na geração de divisas, emprego e tributos.

No entanto, há uma covardia generalizada tanto das lideranças empresariais como dos grupos de mídia, para estabelecer controles mínimos sobre os “jovens turcos”, impedir que o combate à corrupção não desmonte de vez a economia nacional.

A única ação sensata seria uma liderança que coibisse os abusos de delegados como Moscardi e Igor, de procuradores como Dallagnoll e Carlos Fernando, sem prejudicar o combate efetivo à corrupção.

O que esperar de Temer, um governo reconhecidamente corrupto, que loteou o Ministério entre o que de pior a política brasileira produziu? É Osmar Serraglio, o homem de Eduardo Cunha, que definirá a disciplina na PF? Evidente que não.

É esse o dilema em que se meteu o país e uma imprensa pusilânime, que se tornou refém dos monstros que ajudou a construir.

A boa novidade de março: ressurge aos poucos a unidade popular contra o golpismo

Nenhum comentário:
"Aposentadoria fica, Temer sai!" - este foi o grito de mais de um milhão de brasileiros de norte a sul do país, no último 15 de março, nos mais variados movimentos contra a "reforma" de destruição da previdência social do governo golpista de Michel Temer.  E igualmente contra a reforma trabalhista, que simplesmente coloca para escanteio a CLT  e permite a farra dos patrões sobre os direitos dos trabalhadores.

Em Curitiba, uma megapasseata reuniu mais de 20 mil pessoas de diversas categorias, nucleada pelos trabalhadores da Educação, que haviam marcado greve nacional do setor. Pararam, para reagir às contra-reformas do golpismo ultraliberal, professores, técnicos, estudantes, motoristas e cobradores de ônibus, metalúrgicos, agentes penitenciários, policiais civis e outras categorias.  Beto Richa há de ter tremido nas bases, vendo seu palácio cercado por dezenas de milhares de manifestantes que o vem desmascarando desde 2015.


O que transcende de todo esse movimento - que começou a botar medo na quadrilha temerista de Brasília - é o ressurgimento paulatino da unidade popular, a junção de esforços de quase todas as centrais sindicais e de numerosas forças políticas, que andavam meio que cada um no seu quadrado.  Diante das terríveis ameaças de fim da aposentadoria e de desmanche da legislação trabalhista, a ficha caiu e o povo começou a se unir.

E é essa unidade que aterroriza deputados, senadores, juízes mal-intencionados e a gangue do Planalto.  Essa unidade, realizando mais e mais demonstrações de luta nas ruas, poderá impedir que se concretizem alguns dos planos da canalha que já começou a vender o país a preço de banana.

Isto precisa ser consolidado dia após dia, ampliando a presença do povo, dos trabalhadores nas ruas.  As diversas frentes e articulações antiTemer do Paraná já preparam novas ações e é preciso ficar antenado nessa agenda.

sábado, 11 de março de 2017

Setor de Exatas faz assembleia e demanda presença do reitor para resolver pendência com o déspota da SuInfra

Nenhum comentário:
Depois da inusitada ação invasiva do Superintendente de Infraestrutura da UFPR, assenhoreando-se dos espaços ocupados pelo Setor de Ciências Exatas, este setor reuniu-se em assembleia geral (foto acima) na última quinta-feira (9), e tomou as seguintes deliberações:

* Convidar o reitor Ricardo Marcelo para uma reunião do Conselho Setorial, exigindo sua manifestação no cumprimento do cronograma previamente estabelecido para liberação dos espaços ocupados pelo Setor de tecnologia no Prédio do Departamento de Química.

* Manter a negociação no âmbito administrativo, levando a manifestação desse Setor ao COUN e, na forma de recurso, ao COPLAD. Na ausência de manifestação desses conselhos ou, na postergação da inclusão em pauta, iniciar a busca de solução com agentes externos, como PF e MP, cada qual com sua competência. Podendo ser definido um prazo para manifestação da Administração Central e/ou Conselhos. 

* Emitir nota oficial, do Setor, comprovando os fatos ocorridos incluindo imagens, vídeos e outros documentos. 

* Exigir da Reitoria, como instância superior e responsável pela SUINFRA, retratação perante o Conselho Setorial e, consequentemente, a saída do Superintendente pelo notável uso do cargo em benefício do setor de origem do servidor, em um claro conflito de interesse. 

* Exigir isonomia de tratamento e direito à defesa, liberando ao Setor de Exatas o mesmo espaço no sítio da UFPR e nos demais meios de comunicação utilizados pela SUINFRA para tratar do lamentável episódio de 06/03. 

* Agendar reunião conjunta entre os conselhos setoriais de ET e TC, com a presença do novo Reitor, para esclarecimentos a respeito dos fatos ocorridos e definição dos próximos procedimentos a serem adotados. 

* Exigir a melhoria dos espaços pertencentes ao Setor de Exatas, demonstrando que as falhas de gestão da SUINFRA para com os pedidos do Setor de Exatas também implicam na dificuldade de concretização da liberação dos espaços do 3º e 4º andares do prédio da administração, tais como no novo prédio, não-instalação de ramais, equipamentos de ar condicionado inoperantes, elevadores desregulados e/ou parados, ausência de efetiva mão-de-obra para mudança etc.