-->

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Algumas do Primeiro de Abril

Nenhum comentário:
"Seremos completamente transparentes nas contas de nossa gestão no Sinditest.”  [Márcio Palmares, vice-presidente do Sinditest]

“Não mexeremos em direitos dos trabalhadores nem que a vaca tussa.”  [Presidenta Dilma, em campanha em 2014]

“O melhor está por vir em 2015.”  [Beto Richa, candidato à reeleição em 2014, antes de anunciar brutais elevações em impostos do estado]

“A volta da Laryssa à PROGEPE não significa uma volta ao passado.”  [Vice-reitor Mulinari, na re-posse da pró-reitora em março/2015]


“Teremos conquistas de verdade nesta greve!”  [Carla Cobalchini, na greve de 2014, recusando a contraproposta do governo]


“Eu não sou como o Frank Underwood da série ‘House of Cards’. Não sou homicida, nem homossexual, nem corrupto.”  [Deputado do PMDB Eduardo Cunha, atual presidente da Câmara Federal]

Tucano Richa bota mais taxa e eleva preço do prato de comida dos trabalhadores

Nenhum comentário:
A partir de hoje, 1º de abril, por determinação do governador Beto Richa (PSDB), caiu a isenção de ICMS para 95 mil produtos – dentre os quais, gás de cozinha, arroz e feijão – que resultarão no aumento do preço do prato de comida para o trabalhador paranaense.

Por Esmael Morais, em seu Blog

O reajuste no ICMS será de 25%, pois gêneros alimentícios, bebidas, materiais escolares, medicamentos, aparelhos eletrônicos, produtos de higiene e limpeza terão a alíquota aumentada de 12% para 18%.

Em 2008, o então governador de Roberto Requião (PMDB) reduziu os impostos e tributos desses 95 mil produtos. A ideia – que funcionou – seria arrecadar mais estimulando o consumo.

Richa percorre o caminho inverso: aumentou os impostos que restringirão o consumo, arrecada mais em um primeiro momento, mas depois provocará quebra de empresas e desemprego em massa.

Vai aumentar o almoço do trabalhador. Infelizmente, nós teremos que reajustar os preços por causa do ICMS do gás de cozinha. As donas de casa também sofrerão o impacto”, lamentou, ao Blog do Esmael, Fábio Aguayo, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRABAR).

Aguayo adiantou que os empresários do ramo de restaurantes vão fazer um apelo ao governador para que baixe o ICMS do gás. “É preciso vontade política e sensibilidade do Beto”.

O aumento no IPVA foi ainda maior, 40%, e a questão foi parar no Supremo Tribunal Federal (STF). PT e PCdoB ingressaram com uma Adin pedindo a suspensão dos novos valores do imposto.

Esses tarifaços foram aprovados em dezembro de 2014 em sessão-tratoraço da Assembleia Legislativa; portanto, os paranaenses têm muito que “agradecer” aos deputados – alguns da “Bancada do Camburão”, aquela que ficou famosa na recente greve dos professores.

Plenárias de Movimentos Sociais reafirmam defesa da legalidade democrática e luta pelos direitos dos trabalhadores

Nenhum comentário:
Uma grande festa de bandeiras vermelhas tomou conta da capital paulista nesta terça-feira (31) durante uma plenária dos movimentos sociais, com presença do ex-presidente Lula. O dirigente dos trabalhadores afirmou repetidas vezes que defender a legalidade do mandato da presidenta Dilma Rousseff significa defender a soberania da escolha do povo brasileiro celebrada nas urnas durante as eleições presidenciais em outubro passado. 

O ex-presidente Lula, que chegou ao evento acompanhado dos dirigentes sindicais Adilson Araújo da CTB e Wagner Freitas da CUT, aproveitou a oportunidade para enviar uma mensagem a Dilma: “Quem está aqui [na plenária dos movimentos sociais] é seu parceiro nos bons e nos maus momentos, não queremos ser convidados só para a festa”, afirmou. E neste sentido deixou claro que o povo brasileiro não vai aceitar ter suas conquistas garantidas com lutas históricas prejudicadas em função dos interesses das elites. 

A palavra de ordem é defender a legalidade do governo Dilma e lutar para aprofundar mudanças e conquistar mais direitos. “Quando eles [a oposição e a elite] atacam a Dilma, estão atacando toda a classe trabalhadora, todas as nossas conquistas, tudo que foi feito até agora, e isso nós não vamos permitir”, disse Lula.

A orientação de Lula é que os movimentos sociais ocupem as ruas cada vez com mais força e determinação para defender, além da legalidade do mandato de Dilma, as conquistas já obtidas, a Petrobras, a indústria e o desenvolvimento nacional, ao mesmo tempo que devem rechaçar as investidas de golpe e os ataques infundados que alegam corrupção. 

Ninguém até hoje teve a coragem e a ousadia de investigar os crimes de corrupção deste país que a Dilma tem agora, não podemos baixar a cabeça e deixar que qualquer corrupto aí na esquina nos xingue por usarmos camisa vermelha”, afirmou Lula. 

O evento contou com a participação de todas entidades e movimentos sociais que assinaram o manifesto em defesa da democracia, de mais direitos e pelo combate à corrupção, entre eles a CTB, UNE, MST, CUT, UBM, UJS, coletivo Fora do Eixo, ANPG, Centro Barão de Itararé e outros. Milhares de trabalhadores e estudantes participaram do ato. Contou também com a participação dos presidentes Renato Rabelo, do PCdoB,e Rui Falcão, do PT.

A mobilização aconteceu em todo o país, em outras capitais foram realizadas atividades cujo objetivo é fortalecer o debate com a militância e a mobilização. Em Curitiba, a plenária ocorreu ontem à tarde na sede do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil, debatendo a preparação de atos no dia 7 de abril em defesa da legalidade e da Constituição Federal.
---------
Com informações do Portal Vermelho

HC da UFPR: Ebserh abre concurso público para preencher 1775 vagas

Nenhum comentário:
O Hospital de Clínicas (HC) de Curitiba fará concurso público para preencher 1.775 vagas. O edital da seleção foi publicado no site do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), que irá realizar a prova . Esse será o primeiro concurso da instituição desde que o hospital aderiu à gestão compartilhada com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), em outubro de 2014. 

O contrato com a Ebserh prevê a implantação de um plano de reestruturação da unidade hospitalar, com a recomposição do quadro de pessoal, por meio de concurso público, como a principal medida. O último concurso realizado pelo HC foi em 2003.

As 1.775 vagas que serão abertas neste ano serão distribuídas entre a área médica (543), assistencial (1.005) e administrativa (227). Além do HC, a seleção também servirá para a contratação de profissionais para a Maternidade Victor Ferreira do Amaral.

Com os novos funcionários, a previsão é de que sejam ampliados alguns serviços de saúde e reativados leitos que foram fechados devido à falta de pessoal. Segundo informações da assessoria do HC, atualmente o hospital conta com um quadro de 2.805 funcionários, 629 a menos que em 2004.
------------

Operação Zelotes pega esquemas dos bancos Bradesco e Santander, além de afiliada da Rede Globo

Nenhum comentário:
A operação realizada na quinta-feira (26/3) por diversos órgãos federais contra um esquema que causava o sumiço de débitos tributários, uma forma de desfalcar os cofres públicos, identificou várias grandes empresas e bancos entre os suspeitos de pagar propina para se livrarem de dívidas. Entre estas empresas está a RBS, maior afiliada da Rede Globo

Os investigadores, segundo o jornal o Estado de S. Paulo, desconfiam que a RBS pagou 15 milhões de reais para que desaparecesse um débito de 150 milhões de reais. Estariam envolvidas também Ford, Mitsubishi, BR Foods, Camargo Corrêa, Light, Petrobras e os bancos Bradesco, Santander, Safra, BankBoston e Pactual.

O esquema desbaratado pela Operação Zelotes subtraiu do Erário pelos menos 5,7 bilhões de reais, de acordo com as investigações de uma força-tarefa formada por Receita Federal, Polícia Federal, Ministério Público Federal e a Corregedoria do Ministério da Fazenda.

O esquema atuava no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), órgão da Fazenda onde contribuintes podem contestar administrativamente – ou seja, sem passar pela Justiça – certas tributações aplicadas pela Receita.

A força-tarefa descobriu a existência de empresas de consultoria a vender serviços de redução ou desaparecimento de débitos fiscais no Carf. Tais consultorias tinham como sócios conselheiros ou ex-conselheiros do Carf. Elas conseguiam controlar o resultado dos julgamentos via pagamento de propinas. Entre seus clientes, estão as grandes empresas citadas pelo Estadão.

O Ministério da Fazenda informou que já abriu processos administrativos contras as empresas envolvidas, tendo como base a Lei Anticorrupção, a mesma que dá suporte a processos da Controladoria Geral da União contra empreiteiras metidas na Lava Jato.

Abaixo, a lista de alguns débitos investigados de algumas das empresas, segundo o Estadão:

* Banco Santander – R$ 3,3 bilhões
* Banco Bradesco – R$ 2,7 bilhões
* Grupo Gerdau – R$ 1,2 bilhão
* Banco Safra – R$ 767 milhões
* Grupo RBS/Globo – R$ 672 milhões

COMENTÁRIO: depois dessa, reitor Akel, tem ainda alguém na administração superior da UFPR querendo fazer negócio com o banco Santander, como no começo de 2012?
-----------

terça-feira, 31 de março de 2015

Decepção no Sinditest: a prestação de contas que não houve

3 comentários:
Cerca de 20 pessoas reuniram-se na sede social do Sinditest na manhã de hoje (31), para ouvir do Conselho Fiscal informações e esclarecimentos sobre as contas do sindicato no período recente.  Uma decepção.  De início, o advogado do Sinditest, dr. Avanilson, deu algumas explicações mal alinhavadas sobre supostas insuficiências profissionais do ex-contador do sindicato, o sr. Ewerton, informando até que o sindicato abriu processo contra o desempenho profissional dele, junto ao CRC (conselho regional de contabilidade).

Mais adiante apresentaremos matéria mais explicativa do que foi esta fiasquenta assembleia.  Por ora, basta dizer que a Diretoria do Sinditest alegou que, por culpa do ex-contador, o Conselho Fiscal não teve como fazer análise completa das contas de 2013 nem de 2014, colocando o sr. Ewerton como bode expiatório de todos os problemas da tesouraria sindical.

Na sequencia disso, os membros do Conselho Fiscal que estavam na mesa encaminharam para se dar um prazo de 90 dias para uma verdadeira e completa prestação de contas, o que foi aprovado pela maioria, com votos de abstenção da Oposição Sindical.  Ou seja, a assembleia de prestação de contas fica adiada até o final de junho.  Resultado final objetivo: zero.  Veja no vídeo abaixo o melancólico final desta assembleia.

video


segunda-feira, 30 de março de 2015

Contas incompletas e de ano incerto em assembleia do Sinditest na sede social

Um comentário:
Figura capturada da tela do site do Sinditest hoje de manhã, 30 de março

A capacidade de manobrismo espertalhão do PSTU na Diretoria do Sinditest frequentemente surpreende.  Não fosse o olhar atento de um membro da OPOSIÇÃO ao visitar o site do sindicato, passaria despercebido que, na manhã de hoje, a Diretoria PSTUcana capitaneada pela jornalista Carla Cobalchini postou ali um aviso de “assembleia” de modo muito maroto, referente a uma “prestação de contas” da entidade.

Por que maroto? Porque todas as assembleias gerais do Sinditest são informadas com destaque na Seção “Notícias” e também com chamadas visuais.  Desta vez, a chamada de uma “Assembleia do Conselho Fiscal” saiu somente na seção “Agenda”, que raramente é atualizada no site.  Veja a figura acima [clique nela para ampliar], para entender isto e outras pilantragens.

Clicando ali, chega-se a um Edital da “Assembleia do Conselho Fiscal” (cópia do Edital no final desta postagem). O primeiro problema do Edital é que NÃO EXISTE no Estatuto do Sinditest a figura da “Assembleia do Conselho Fiscal”.  Existe a Assembleia Geral ORDINÁRIA DO SINDITEST para a prestação anual regular das contas do exercício anterior (no caso, seria 2014).  O desavisado da base que ler essa chamada e o Edital vai pensar que só quem é membro do Conselho(*) é que pode ir para essa assembleia.  Mas, não, trata-se de uma Assembleia Geral do Sinditest!

Em segundo lugar, o Edital não informa a que ano se refere essa prestação de contas!  O exercício de 2013, também sob a presidência de Carla Cobalchini, não foi apresentado em março/2014 como manda o Estatuto.  As tabelas prévias das contas de 2014 foram apresentadas no site do Sinditest em janeiro deste ano, mas sem informar as contas do mês de dezembro nem os gastos do Fundo de Greve/2014.  Então: contas de qual ano essa Diretoria quer mostrar e esclarecer?

Terceiro problema: dificultação da participação de servidores da UTFPR nessa assembleia de prestação de contas de amanhã.  Pois, ora, tiveram a pachorra de marcar uma assembleia de tirada de delegados ao 22. CONFASUBRA do campus Curitiba da UTFPR no mesmo dia e hora da assembleia de prestação de contas! Se algum servidor da UTFPR-Curitiba quiser saber das contas e também acompanhar a escolha de representantes ao CONFASUBRA, ele vai precisar de um clone...  Um absurdo.

Por manobras e diversionismos assim foi que o presidente do Conselho Fiscal atual renunciou em setembro do ano passado. Queria saber dos detalhes das contas, como era do seu dever de membro do Conselho, mas a Diretoria de Carla lhe sonegava informações.  Pelo visto, a prometida transparência e a democracia “operária” do PSTU são só CPBD(**)!

CHAMAMOS OS SERVIDORES que queiram tirar isso a limpo para comparecerem a essa misteriosa assembleia de prestação de contas.  Será nesta terça-feira, 31 de março, a partir das 09h30, na sede da rua Marechal Deodoro, 1899.  Vão com sua paciência e estômago preparados!
-----------------
(*)O Conselho Fiscal (CF) compõe-se de 6 membros, 3 titulares e 3 suplentes, que foram eleitos para o mandato 2014-2015 no final de 2013.  O Estatuto do Sinditest (Artigo 10) ORDENA que, até o 31 de março de cada ano, deve ocorrer Assembleia Geral Ordinária para a prestação de contas do exercício anterior e que essa assembleia deve ser presidida por membros do CF.

(**)CPBD: Conversa Para Boi Dormir.

Edital da Assembleia "do Conselho Fiscal" (termo enganoso)


-------------------
Atualização às 13h20: parece que bastou a gente criticar aqui a má divulgação dessa assembleia "do conselho fiscal" que a Diretoria do Sinditest se mexeu e postou no rol das "Notícias-Geral" a chamada para a dita cuja.  Menos mal.  Nessa matéria, a Diretoria também denuncia a não-cessão de espaços do HC e outros da UFPR para realização de assembleias do Sinditest, o que, se for real, nós criticamos com veemência, pois trata-se de prática antissindical da EBSERH do HC e da UFPR.

domingo, 29 de março de 2015

Operação Zelotes jamais teria ocorrido em um governo tucano

Um comentário:
Essa Operação Zelotes, assim como a Lava Jato e outras tantas, jamais teria ocorrido em um governo tucano.

Por Leandro Fortes, no site DCM

Repito: jamais.

Fui repórter durante todos os governos FHC e posso garantir: a condução da PF era absolutamente controlada pelos interesses do governo tucano, aí incluídos os aliados do PFL, atual DEM.

Só por isso, já dá para imaginar.

Na investigação do chamado Dossiê Cayman, que investiguei em Miami e na Jamaica, os delegados eram comandados, pessoalmente, pela então secretária nacional de Justiça, Elizabeth Sussekind. Até às Bahamas ela foi com eles.

Em 1998, o então diretor-geral da PF, Vicente Chelotti, foi obrigado a esconder documentos que incriminavam o falecido ministro das Comunicações Sérgio Motta, o Serjão.

Ele, FHC, José Serra e Mário Covas eram acusados de possuir uma conta secreta no paraíso fiscal das Ilhas Cayman (na verdade, nas Bahamas), onde teriam colocado grana desviada das privatizações.

Os papéis eram falsos, mas, estranhamente, o governo entrou em desespero. A PF abriu dois inquéritos, agiu no subterrâneo e só depois da imprensa descobriu que o dossiê – vendido por três golpistas brasileiros a Fernando Collor e Paulo Maluf por 1 milhão de dólares – era falso. Está no livro que escrevi a respeito, “Cayman: O Dossiê do Medo” (Record, 2002).

Um vexame.

O gado que foi tocado para as ruas, em 15 de março, para bradar contra a corrupção, deveria pensar um pouco mais sobre isso.

sábado, 28 de março de 2015

Falsidade nas promessas e compromissos da Diretoria do Sinditest

Um comentário:

video
Falsidade. Uma das marcas da atual gestão do Sinditest 2014-2015. Chamam assembleias, debate-se vota-se, toma-se decisões.  E o encaminhamento? Muitas vezes não acontece.

Especialmente se envolver questões sensíveis de irregularidades nas duas gestões 2008-2011, nas quais conviveram muito juntos os servidores Wilson Messias (presidente), Antonio Néris (vice) e Carla Cobalchini (diretora de imprensa, hoje presidente).

Irregularidades detectadas na Auditoria realizada entre julho e outubro de 2013.  No vídeo acima se vê mais uma promessa-'enrolation', não encaminhada pela Diretoria do Sinditest.  Acreditam fervorosamente que a categoria tenha memória curta e "não ligue lé com cré".

sexta-feira, 27 de março de 2015

Direito à Saúde e SUS ameaçados pelo deputado Eduardo Cunha

Nenhum comentário:
PEC 451 viola o direito à saúde e promove a segmentação do SUS, alertam entidades da área da saúde.

O Sistema Único de Saúde vem sofrendo golpes sucessivos que desviam o sentido com que foi criado de prover acesso universal a serviços de saúde de qualidade. O golpe mais recente foi a reiteração e a constitucionalização do seu subfinanciamento com a EC 86, de 2015, que dispõe sobre o orçamento impositivo e estabelece como percentual de recursos da União vinculados à saúde, 15% das receitas correntes líquidas (em cinco anos), ao invés do equivalente a 10% de suas receitas correntes brutas como proposto pelo projeto de lei de iniciativa popular.

A EC-86/15 asfixia o SUS não só pela diminuição dos recursos federais, mas também pela criação da emenda impositiva que tira da saúde o que era para ser transferido automaticamente para os orçamentos municipais e estaduais e dá aos parlamentares o poder de devolvê-los de acordo com interesses políticos particulares. O orçamento deveria garantir o atendimento às necessidades de saúde expressas em planos de saúde e aprovados nos conselhos, e não ser objeto de negociações eleitorais ou partidárias.

Além da EC 86/15, foi aprovada a Lei 13019, de 2014, que abriu a assistência à saúde ao capital estrangeiro, numa afronta à vedação constitucional inserta no art. 199, § 3º, que proíbe tal participação por ser antagônica à definição da saúde como direito público. Este artigo 142 da lei está sendo arguido de inconstitucionalidade pelas entidades de defesa do SUS universal e igualitário.

O que fica cada vez mais claro é que está em curso uma subversão do projeto constitucional para a saúde.

Agora, está em discussão no Congresso a PEC 451, de 2014, de autoria do deputado Eduardo Cunha, que altera o art. 7º da Constituição, inserindo novo inciso, o XXXV, o qual obriga todos os empregadores brasileiros a garantirem aos seus empregados serviços de assistência à saúde, excetuados os trabalhadores domésticos, afrontando todo o capítulo da seguridade social e a seção da saúde e seus dispositivos.

CONTINUE LENDO ->
--------------
Fonte: Revista Forum