-->

Luta sem trégua contra o governo usurpador

sábado, 22 de outubro de 2016

União Brasileira de Mulheres repudia ação provocadora do MBL contra ocupações estudantis

Nenhum comentário:
A direita de Curitiba, organizada em grupos protofascistas como o MBL e "Mamãe Falei", acusados de serem subvencionados com dinheiro público do golpista Temer, resolveu mostrar suas garras contra ocupações de escolas que lutam contra a MP 746/16 (da "Reforma" do Ensino Médio) e a PEC da Morte (PEC 241/16).  Os fascistoides foram ao maior colégio do estado infernizar a vida dos combativos jovens que comandam a ocupação de luta e o incidente mereceu Nota de Repúdio da União Brasileira de Mulheres (UBM), cuja íntegra segue abaixo.


UNIÃO BRASILEIRA DE MULHERES REPUDIA 
AÇÃO VIOLENTA E COVARDE  DO MBL-CURITIBA 
CONTRA ESTUDANTES DO COLÉGIO ESTADUAL DO PARANÁ

"A União Brasileira de Mulheres (UBM) - entidade feminista de defesa dos direitos das mulheres - manifesta seu intenso repúdio à ação violenta e covarde do protofascista Movimento Brasil Livre (MBL) de Curitiba contra estudantes que ocupam o Colégio Estadual do Paraná (CEP). Na legítima e democrática ocupação do CEP, os estudantes resistem denodadamente contra as medidas antipopulares, antinacionais e antidemocráticas do presidente golpista Michel Temer e seu aliado no Paraná, o governador Beto Richa, destacadamente lutando contra a MP 746 (“Reforma” do ensino médio) e a PEC 241. 

Em 19 de outubro, secundaristas que ocupam o maior colégio do Paraná relatam que viveram momentos de assédio e terror, quando cinco homens, apresentando-se como integrantes do MBL, liderados por Eder Borges (candidato derrotado a vereador pelo partido de Bolsonaro), tentaram adentrar o Colégio. Os representantes do MBL abusivamente interrogavam os estudantes com perguntas descabidas, filmavam e ameaçavam, chegando ao ponto do assédio sexual físico contra uma aluna. 

Tais atitudes violentas contra estudantes constituem prática fascista, machista e covarde, merecedoras de reprovação da sociedade brasileira.

O repulsivo episódio tem da parte da União Brasileira de Mulheres veemente condenação, pois violam não só a Constituição Federal como também o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Diante da gravidade do caso, vergonha para Curitiba e para nosso Estado, demandamos rigor na apuração dos fatos e punição dos agressores do MBL. 

Saudamos todas as ocupações dos estudantes que lutam bravamente por seus legítimos interesses e entendemos que estão construindo, pela própria experiência, sua formação de cidadãos críticos, um exemplo para outros segmentos sociais que também prezam a democracia e a Educação Pública Gratuita de qualidade.

Viva a luta da juventude! Abaixo a MP 746 e a PEC 241!

Viva a luta do povo brasileiro!

Fora fascistas! Fora Temer Golpista! 

Curitiba, 21 de outubro de 2016."

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Ministro paranaense da Saúde comemora menos verbas para atender saúde dos brasileiros

Nenhum comentário:
Ricardo Barros (PP-PR), o ministro golpista do usurpador Temer, aparece no flagrante acima comemorando a aprovação da PEC 241/16 ontem, que congelará investimentos em Saúde nos próximos 20 anos.  Barros é ministro da Saúde do velhote canalha Temer.  Como eles são neoliberais privatistas, querem que o SUS acabe e que só os que podem pagar planos privados de saúde tenham acesso ao que deve ser, e hoje é, um direito constitucional de todo brasileiro desde 1988.

Este oligarca do Paraná, que não entende nada de Saúde, é marido da atual vice-governadora de Beto Richa, Cida Borgheti, que pretende ser candidata a governadora em 2018 na sucessão do ultraqueimado governador massacrador de professores.  Também é pai da dondoquinha Maria Victoria, deputada estadual que se candidatou este ano a prefeita de Curitiba, mas se lascou.

Ricardo Barros ganhou notoriedade ao soltar seu barro por aí.  A última pérola do golpista foi dizer que homem trabalha mais que a mulher e por isso vai menos ao médico, no que levou bronca até da própria filha.

É dessa escória política e intelectual que o Brasil está servido com o governo quadrilheiro usurpador de Michel Temer.

366 picaretas aprovam a "PEC da morte" 241/16

Nenhum comentário:
O que mais pesa nos gastos públicos? O extorsivo pagamento de juros, da ordem de 45% do total. Mas o golpista Temer e sua corja de parlamentares comprados no banquete da noite de domingo passado preferem cortas nos gastos ditos primários relativos a áreas fundamentais, como Saúde e Educação, nos serviços públicos que serão precarizados, se nada mudar, até 2037.  Nenhuma medida para o pagamento de juros, nada para fazer com que os ricos paguem o custo da crise.

O vídeo acima, curtinho, explica didaticamente em que consistem as maldades da PEC 241, e o gráfico abaixo mostra o peso cruel dos juros no orçamento.



Em 31 de agosto consumou-se a fase 1 do golpe contra a soberania nacional e os direitos do povo brasileiro, ao derrubarem, sem crime de responsabilidade comprovado, a presidenta legítima Dilma.

Ontem, 11/10, mais um momento da fase 2 do golpe, em que Executivo e Congresso, de costas para a nação, entregam nossas riquezas e dinamitam aos poucos as esperanças da população de uma vida melhor.

Confira aqui como votaram os parlamentares ontem em Brasília, classificados por partido. Somente PCdoB, PT, PSol, Rede e maioria do PDT votaram "Não" à PEC 241. E, abaixo, a lista apenas dos deputados federais do Paraná.  Repudiaram a PEC da Morte apenas Enio Verri (PT), Aliel Machado (Rede), Assis do Couto (PDT) e Marcelo Belinati (PP).

Todos do PMDB, PSDB, PSD, dentre os grandes, votaram a favor da PEC. Desses, os que tem base eleitoral em Curitiba - como Luciano Ducci, Francischini, João Arruda, Paulo Martins - merecem ser muito "bem recebidos" pelos trabalhadores da capital e também muito bem "DESvotados" se tentarem reeleição em 2018.




Moro vai acabar na fogueira

Nenhum comentário:
O húngaro George Pólya, um matemático sensato, o que é uma raridade, nos sugere ataques alternativos quando um problema parece ser insolúvel.

Por Rogério Cezar Cerqueira Leite(*)

Um deles consiste em buscar exemplos semelhantes paralelos de problemas já resolvidos e usar suas soluções como primeira aproximação. Pois bem, a história tem muitos exemplos de justiceiros messiânicos como o juiz Sergio Moro e seus sequazes da Promotoria Pública.

Dentre os exemplos se destaca o dominicano Girolamo Savonarola, representante tardio do puritanismo medieval. É notável o fato de que Savonarola e Leonardo da Vinci tenham nascido no mesmo ano. Morria a Idade Média estrebuchando e nascia fulgurante o Renascimento.

Educado por seu avô, empedernido moralista, o jovem Savonarola agiganta-se contra a corrupção da aristocracia e da igreja. Para ele ter existido era absolutamente necessário o campo fértil da corrupção que permeou o início do Renascimento.

Imaginem só como Moro seria terrivelmente infeliz se não existisse corrupção para ser combatida. Todavia existe uma diferença essencial, apesar das muitas conformidades, entre o fanático dominicano e o juiz do Paraná  - não há indícios de parcialidade nos registros históricos da exuberante vida de Savonarola, como aliás aponta o jovem Maquiavel, o mais fecundo pensador do Renascimento italiano.

É preciso, portanto, adicionar um outro componente à constituição da personalidade de Moro - o sentimento aristocrático, isto é, a sensação, inconsciente por vezes, de que se é superior ao resto da humanidade e de que lhe é destinado um lugar de dominância sobre os demais, o que poderíamos chamar de "síndrome do escolhido".

Essa convicção tem como consequência inexorável o postulado de que o plebeu que chega a status sociais elevados é um usurpador. Lula é um usurpador e, portanto, precisa ser caçado. O PT no poder está usurpando o legítimo poder da aristocracia, ou melhor, do PSDB.

A corrupção é quase que apenas um pretexto. Moro não percebe, em seu esquema fanático, que a sua justiça não é muito mais que intolerância moralista. E que por isso mesmo não tem como sobreviver, pois seus apoiadores do DEM e do PSDB não o tolerarão após a neutralização da ameaça que representa o PT.

Savonarola, após ter abalado o poder dos Médici em Florença, é atraído ardilosamente a Roma pelo papa Alexandre 6º, o Borgia, corrupto e libertino, que se beneficiara com o enfraquecimento da ameaçadora Florença.

Em Roma, Savonarola foi queimado (figura que ilustra esta postagem). Cuidado, Moro, o destino dos moralistas fanáticos é a fogueira. Só vai vosmecê sobreviver enquanto Lula e o PT estiverem vivos e atuantes.

Ou seja, enquanto você e seus promotores forem úteis para a elite política brasileira, seja ela legitimamente aristocrática ou não.
--------------
(*)Rogério Cezae de Cerqueira Leite, físico, é professor emérito da Unicamp e membro do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia.  Artigo publicado na folha SP.